Anvisa alerta consumidores para consumo de fitoterápicos

O Ministério da Justiça em parceria com o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgaram mais um boletim da série Consumo e Saúde, que trata sobre o uso comercialização dos medicamentos fitoterápicos.

São considerados medicamentos fitoterápicos aqueles feitos a partir de plantas medicinais, em forma de comprimidos, cápsulas e xaropes se apresentam como a forma final dessas drogas vegetais.

A Anvisa, porém alerta que é preciso estar atento à qualidade desses remédios, mesmo sendo naturais. O boletim divulgado explica que os medicamentos fitoterápicos são uma opção terapêutica benéfica à população no combate e prevenção de doenças.

De acordo com o boletim divulgados, todos os fitoterápicos comercializados no Brasil devem ter registro da Anvisa, pois “há perigos em se utilizar medicamentos que não tenham registro, pois além de serem ilegais, não há um controle e não se sabe qual a composição e a origem desses produtos, ou seja, não há como garantir a segurança e a qualidade em seu uso”.

Alerta

A Anvisa alerta aos consumidores que quando for comprar um fitoterápico, é preciso observar se a embalagem possui o número de registro da Anvisa, os dados da empresa (CNPJ, razão social, endereço, etc.) e o número do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC).

“Antes de consumi-los, busque orientação de um profissional e siga corretamente as instruções da bula e da rotulagem. Uma dica importante: desconfie sempre de medicamentos que prometem curas milagrosas”, alerta o resultado do boletim.

De acordo com o DPDC, os consumidores que encontrarem produtos com suspeitas de irregularidades devem ser denunciados à Vigilância Sanitária mais próxima ou por meio do e-mail [email protected]

Mais notícias