Motoentregadores protestam em Campo Grande contra preço e impostos da gasolina

Trabalhadores também questionam impostos estaduais cobrados sobre o valor do combustível

Contra as recentes altas e impostos no valor do combustível, motoentregadores protestaram na tarde desta segunda-feira (22), em Campo Grande. Trabalhadores se manifestaram em três pontos da cidade.

“Não aguentamos mais esses impostos abusivos e ainda mais na gasolina, o que mais precisamos usar. Decidimos nos unir”, informa o convite. O protesto aconteceu na , e .

Os organizadores também pedira apoio dos caminhoneiros, motoristas de aplicativo e entregadores de aplicativo de comida. Pelas imagens é possível notar o buzinaço durante o trajeto e em frente aos postos de combustível.

A reportagem tentou entrar em contato com o sindicato da categoria, mas não obteve retorno até a publicação deste material.

ICMS sobre a gasolina

A alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias de Serviços) cobrada sobre a gasolina em Mato Grosso do Sul, desde o ano passado, subiu de 25% para 30%, o que faz encarecer o valor do combustível. Protesto para que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) baixe o valor do imposto já foi marcado para o dia 12 de março.

Nesta segunda-feira (22) ao ser questionado sobre a alíquota, Reinaldo afirmou que se houve uma mudança repentina na cobrança, o Estado pode “quebrar”. A fala do governador repercutiu e revoltou muitos sul-mato-grossenses.

Só no mês de janeiro, conforme dados do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), o Estado arrecadou R$ 266,8 milhões com a venda da gasolina e de outros combustíveis. O valor embolsado por Mato Grosso do Sul é maior do que a arrecadação feita por 15 estados, entre eles São Paulo e Minas Gerais.

Confira o vídeo do protesto dos motoentregadores

Motoentregadores protestam em Campo Grande contra preço e impostos da gasolina
Mais notícias