Cotidiano

Tratamento de homeopatia reduz mortalidade e aumenta recuperação de animais silvestres do Cras

O Projeto Amigo Sigo, do Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) de Campo Grande divulgou, nesta quarta-feira (17), destaque ao tratamento de homeopatia em animais silvestres desde setembro de 2020. Dados apontam que houve redução da mortalidade e aumento da recuperação dos bichos resgatados. A maior parte dos animais que chegam para os cuidados […]

Karina Campos Publicado em 17/02/2021, às 16h34 - Atualizado às 16h55

Anta Antônio teve melhora com tratamento de homeopatia. (Foto: Divulgação/Projeto Amigo Sigo)
Anta Antônio teve melhora com tratamento de homeopatia. (Foto: Divulgação/Projeto Amigo Sigo) - Anta Antônio teve melhora com tratamento de homeopatia. (Foto: Divulgação/Projeto Amigo Sigo)

O Projeto Amigo Sigo, do Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) de Campo Grande divulgou, nesta quarta-feira (17), destaque ao tratamento de homeopatia em animais silvestres desde setembro de 2020. Dados apontam que houve redução da mortalidade e aumento da recuperação dos bichos resgatados.

A maior parte dos animais que chegam para os cuidados são filhotes órfãos encontrados perdidos das mães em canaviais, rodovias, fugindo de queimadas ou resgatados do tráfico ou criação ilegal, assim como grande parte das aves.

O projeto criado em setembro de 2020 em parceria com a Sigo Homeopatia Veterinária, vem mostrando melhorias nos tratamentos. “Cerca de 80% dos animais tratados com homeopatia são filhotes, onde há resultados mais expressivos, inclusive muitos, recebem o tratamento desde a cozinha, onde o alimento já chega até eles com o medicamento. Temos resultados significativos por exemplo, com as aves, que apenas com a homeopatia, tiveram grande redução da diarreia e com isso, redução de 40% dos óbitos por este problema em 2020, comparado a 2019”, explica o médico veterinário do Cras, Diogo Borges.

Tratamento de homeopatia reduz mortalidade e aumenta recuperação de animais silvestres do Cras
Antes e depois do tratamento em arara Canindé. (Foto: Divulgação/Projeto Amigo Sigo)

Um dos animais que recebeu tratamento é anta apelidada carinhosamente de Antônio. Com dois anos, ele foi resgatado pela PMA PMA (Polícia Militar Ambiental) em fevereiro de 2020, encontrado em uma fazenda de Costa Rica, perdido da mãe. Os funcionários esperaram a mãe retornar, mas como isso não ocorreu, acionaram a polícia para o resgate. Trazido ao centro, o filhote apresentava uma série de fragilidades, que estão sendo eliminadas com uso exclusivo da homeopatia.

“O Antônio recebe uma fórmula especial e está evoluindo muito. Ele come o dia todo agora, está nascendo pelos, que antes havia falhas e a mobilidade melhorou. Antes ele não andava e não tinha a locomoção que tem hoje. Além disso, está ganhando cerca de 1,5 kg por semana, o que demonstra o quanto está se fortalecendo e evoluindo”, ressalta.

Possível vítima de maus-tratos, uma das araras Canindé do local chamava atenção por não ter nenhuma pena no corpo, com algumas apenas na cabeça. Após denúncias, a PMA chegou até o local onde a ave foi encontrada. Apelidado de “arara frango”, devido seu estado, o animal exigiu inúmeros cuidados por parte da equipe. Com cinco meses de tratamento exclusivamente homeopático, a arara já está com o corpo sendo coberto por novas penas.

“A homeopatia e o suporte da Sigo tem sido o grande diferencial para nós. Mudou muito e ajuda muito nosso trabalho. Hoje, conseguimos manusear melhor os animais que chegam traumatizados e agressivos graças à homeopatia, entre tantos outros benefícios para a recuperação destes animais”, finaliza o veterinário.

O Cras recebe animais silvestres resgatados e feridos de segunda à sexta-feira, das 8h às 16h. Informações pelo (67) 3326-1429.

Jornal Midiamax