Cotidiano

Teatro on-line e live abordam mulheres que se destacaram na Ciência

Será transmitida amanhã, 26, a partir das 16h no horário de MS, no canal do Clube de Astronomia Carl Sagan, a peça de teatro “Insubmissas, Mulheres na Ciência”. Após a apresentação, será realizada também uma live com o autor Oswaldo Mendes, o diretor e cenógrafo Carlos Palma e o elenco. De acordo com a sinopse […]

Diego Alves Publicado em 26/02/2021, às 01h14

None

Será transmitida amanhã, 26, a partir das 16h no horário de MS, no canal do Clube de Astronomia Carl Sagan, a peça de teatro “Insubmissas, Mulheres na Ciência”. Após a apresentação, será realizada também uma live com o autor Oswaldo Mendes, o diretor e cenógrafo Carlos Palma e o elenco.

De acordo com a sinopse da peça, uma misteriosa voz masculina insistentemente provoca Madame Curie, Bertha Lutz, Rosalind Franklin e Hipácia de Alexandria a falarem de suas vidas. Numa delicada e instigante instalação de cordas, pedras e luzes, o desnudamento de extremados conflitos vem à tona, num suspense somente rompido pela insubordinação e pela desobediência.

A produção é do Núcleo Arte Ciência no Palco da Cooperativa Paulista de Teatro e o projeto foi contemplado pela 10ª edição do Prêmio Zé Renato de Teatro para a cidade de São Paulo, da Secretaria Municipal de São Paulo.

A promoção em Mato Grosso do Sul é da Casa da Ciência e Cultura de Campo Grande, da UFMS, com o apoio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) e da Coordenadoria de Tecnologia Educacional da Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul (COTED/SITEC/SED).

A coordenadora da Casa da Ciência e Cultura de Campo Grande, professora Isabela Porto Cavalcante conta que o projeto chegou à Universidade por meio da Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciência (ABCMC), à qual a Casa é afiliada. Para a docente e pesquisadora apesar de já discutido e fomentando há bastante tempo, o tema ainda precisa de muita visibilidade. “Ainda temos muita desigualdade em relação às mulheres, em particular no campo da Ciência. É um dos espaços que as mulheres precisam ocupar em igualdade com os homens para superarmos a mazela do machismo estrutural, que é uma das questões para termos uma sociedade mais sadia”.

A professora aponta que são várias as frentes de combate, citou como exemplo ações afirmativas e lembrou de editais de pesquisa voltados especificamente às meninas e mulheres na Ciência, com o objetivo de levar as estudantes a considerarem a carreira científica. “Muitas meninas olham para a Ciência como algo que não é para elas, assim como muitas pessoas de classes menos favorecidas olham a Universidade como um espaço que não é para elas. Todas essas ações são para combatermos essas desigualdades. Essa peça em específico é para refletirmos e valorizarmos a atuação das mulheres na Ciência, as pesquisadores que são retratadas são de várias épocas e várias áreas do conhecimento”.

Mais informações sobre o evento virtual podem ser obtidas nos perfis do Clube de Astronomia Carl Sagan no Instagram e no Facebook. (Informações da asessoria)

Jornal Midiamax