Cotidiano

Superlotado e sem leitos, área vermelha do HU completa uma semana de atendimentos suspensos

O PAM (Pronto Atendimento Médico) Adulto do Humap-UFMS (Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), completa nesta sexta-feira (5), uma semana de atendimentos suspensos para novos pacientes na área vermelha, por superlotação e falta de leitos. De acordo com a assessoria do hospital, atualmente, a 10 pacientes estão na […]

Karina Campos Publicado em 05/03/2021, às 12h11

Funcionários foram orientados a repassar informação para pessoas e até ambulâncias (Foto: Arquivo/Midiamax)
Funcionários foram orientados a repassar informação para pessoas e até ambulâncias (Foto: Arquivo/Midiamax) - Funcionários foram orientados a repassar informação para pessoas e até ambulâncias (Foto: Arquivo/Midiamax)

O PAM (Pronto Atendimento Médico) Adulto do Humap-UFMS (Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), completa nesta sexta-feira (5), uma semana de atendimentos suspensos para novos pacientes na área vermelha, por superlotação e falta de leitos.

De acordo com a assessoria do hospital, atualmente, a 10 pacientes estão na área vermelha, sendo que o setor tem capacidade apenas de 6 leitos. Já na área amarela, onde ocupa 5 leitos, estão atendendo 8 pessoas. Na área verde, com pacientes sem gravidade, são 4 leitos, mas 16 pessoas estão nas salas e corredores.

A unidade publicou um ofício, na sexta-feira passada (27), alegando que além da área vermelha, o corredor corre risco de ter pacientes sem atendimento, “não temos equipe assistencial para atender tantos pacientes a mais”, diz o documento.

À medida que os leitos forem desocupados, a Central de Regulação, da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), será avisada, portando, funcionários do local estão reesposáveis por comunicar ambulâncias e pessoas que buscam atendimento nos setores. O acesso de pacientes para o PAM pediatria e Maternidade está liberado. Já o setor de regulação e avaliação de saúde, cabe as recepcionistas informar que não podem abrir fichas de atendimento aos adultos.

Jornal Midiamax