Cotidiano

Falta oxigênio: HRMS decide se prorroga suspensão para receber pacientes

O Hospital Regional de Mato Grosso do Sul avalia prorrogar a suspensão de recebimento de pacientes por falta de oxigênio na unidade

Gabriel Maymone Publicado em 30/03/2021, às 08h36 - Atualizado às 14h18

Paciente com covid em leito de UTI no HRMS. (Foto: Ascom HRMS)
Paciente com covid em leito de UTI no HRMS. (Foto: Ascom HRMS) - Paciente com covid em leito de UTI no HRMS. (Foto: Ascom HRMS)

Com pouco oxigênio para os pacientes já internados e referência do SUS para tratamento de pacientes com covid em Mato Grosso do Sul, o HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) terá reunião do gabinete de crise da unidade para avaliar a medida de não receber pacientes com covid que precisem de ventilação mecânica por 12h, desde a noite de segunda-feira (29).

Portanto, conforme a assessoria do hospital, às 9h, os integrantes do comitê emergencial da covid se reúnem para definir se o período de 12h será o suficiente para dar um “fôlego” ao hospital, que está no limite do uso de oxigênio aos pacientes intubados.

Isso porque o boletim divulgado na noite de segunda-feira (29) pelo HRMS mostra que o hospital está operando acima da capacidade de suprimento de oxigênio. São 120 leitos UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para pacientes com covid, mas são 133 doentes em estado grave.

De acordo com informe da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Campo Grande tem 526 pacientes internados com covid. Desses, 479 necessitam de suporte de oxigênio.

Oxigênio

O Hospital Regional suspendeu a entrada de pacientes devido a superlotação no hospital e devido a utilização do oxigênio que está no limite. Segundo informações, a suspensão ocorrerá por 12 horas, que começou a contar da noite da segunda-feira (29).

“Vai depender do numero de ventiladores que ficarem ‘vagos’ nas próximas horas”, diz uma servidora que trabalha no local. O hospital já superou o máximo de 140 pacientes intubados.

Campo Grande registrou 15 mortes pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com boletim epidemiológico da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) divulgado na noite desta segunda-feira (29).

Ao todo, ainda segundo a Sesau, são 1.833mortes causadas pelo coronavírus na Capital desde o início da pandemia, com 84.009 casos confirmados. Destes, 798 estão em isolamento domiciliar, 526 em internação e 80.853 já se recuperaram da doença. Dos internados, 283 estão em leitos clínicos e 242 em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva).

Segundo boletim da SES (Secretaria Estadual de Saúde), divulgado na manhã desta segunda, Mato Grosso do Sul tem 1.137 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, com registro de 4.164 mortes e 212.419 infectados desde o início da pandemia.

Jornal Midiamax