Cotidiano

Saúde de MS e Estados pedem que União determine restrições contra avanço do coronavírus

Os estados brasileiros devem se unir para pedir ao Governo Federal por medidas restritivas contra o coronavírus. O titular da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Geraldo Resende comentou que as secretarias de saúde dos estados se uniram para pedir que o governo de Bolsonaro tome alguma decisão para barrar o avanço da doença. Durante […]

Mylena Rocha Publicado em 01/03/2021, às 12h35

 Foto: Henrique Arakaki | Jornal Midiamax
Foto: Henrique Arakaki | Jornal Midiamax - Foto: Henrique Arakaki | Jornal Midiamax

Os estados brasileiros devem se unir para pedir ao Governo Federal por medidas restritivas contra o coronavírus. O titular da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Geraldo Resende comentou que as secretarias de saúde dos estados se uniram para pedir que o governo de Bolsonaro tome alguma decisão para barrar o avanço da doença.

Durante transmissão da live da SES nesta segunda-feira (1), ele disse que os estados farão uma ‘carta aberta’, pedindo medidas que realmente diminuam o grau de contaminação, de internações e de óbitos por Covid-19 no Brasil. 

Resende tem demonstrado preocupação com a situação da pandemia em Mato Grosso do Sul. Ele comentou que o Estado deve viver momentos terríveis nas próximas semanas. Nesta segunda-feira (1º), o secretário ainda afirmou que o colapso da saúde pública, como visto nos estados do Norte, não deve ser uma realidade tão distante, caso a população continue a desrespeitar as orientações.

“Enquanto não tiver quantidade de vacinas suficientes, podemos ter, infelizmente tenho que ser claro e objetivo, o quadro que se apresentou nos estados da região norte”.

Doses que ‘sobraram’ em aldeias são remanejadas em MS

As doses de vacina que não foram utilizadas pelos indígenas começam a ser remanejadas para a imunização dos idosos acima de 80 anos em Mato Grosso do Sul. Na semana passada, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) já havia anunciado que 13.848 doses de vacina contra Covid-19 poderiam ser remanejadas, já que parte da população indígena se recusou a vacinar. 

Nesta segunda-feira (1º) o secretário Geraldo Resende comentou que as doses serão remanejadas para o público idoso nos municípios que têm população indígena. “A partir de hoje estamos fazendo o remanejamento de vacinas que estavam em posse dos polos indígenas do Dsei (Distrito Sanitário Especial Indígena), nós vamos remanejar para municípios que tenham população indígena para aplicar na população”, disse.

Resende explicou que as doses de vacina serão utilizadas para terminar a vacinação dos idosos com mais de 80 anos. Nos casos dos municípios que terminaram a imunização desse público, as doses serão utilizadas para contemplar idosos a partir de 75 anos. Além disso, municípios devem imunizar todos os trabalhadores de saúde com mais de 60 anos, sejam da rede pública ou privada.

Jornal Midiamax