Retorno das aulas: governo de MS definiu apenas um ponto e não descarta ensino presencial

Porém, definição será tomada em reunião entre secretarias de saúde e educação

O governo de tem apenas uma definição sobre a volta às aulas na rede estadual de ensino: a data, que será em 1º de março. Apesar do avanço da pandemia e das indefinições sobre quando a população será imunizada contra a , o Estado não descarta o retorno de aulas presenciais.

Para isso, investiu R$ 3,6 milhões na compra de itens de segurança como termômetros, luvas, máscaras, borrifadores, álcool gel 70, dispenser em totem e materiais de limpeza. As medidas de biossegurança foram definidas por uma comissão formada por 21 instituições como Fetems (Federação dos Trabalhadores de Educação de MS), por exemplo, parra o retorno das atividades.

Entretanto, há também a possibilidade da volta às aulas ocorrer de forma híbrida, que é a mais provável. Assim, parte dos alunos voltaria de forma presencial e haveria rodízio nas turmas, sendo que a cada dia da semana, parte dos estudantes iria à escola e, nos demais dias, assistiria às aulas em casa.

Além disso, existe a possibilidade de que o início das aulas seja apenas de forma remota. A decisão será tomada em reunião ente a SED (Secretaria Estadual de Educação) e SES (). Ainda não há previsão de quando a decisão final será tomada.

Retorno das aulas: governo de MS definiu apenas um ponto e não descarta ensino presencial
Mais notícias