Cotidiano

Recorde de mortes em 24h faz ocupação de UTIs cair para 93% em MS

Com 87 mortes em 24h, MS registrou um dos menores índices de ocupação de leitos das últimas três semanas

Dândara Genelhú Publicado em 08/04/2021, às 18h14

Leitos ficam vazios em MS após mortes por Covid-19
Leitos ficam vazios em MS após mortes por Covid-19 - Foto: Reprodução

Nas últimas 24h, Mato Grosso do Sul teve 87 mortes causadas pelo coronavírus. O maior número de óbitos já registrado pelo Estado fez a ocupação de leitos cair. Assim, a lotação de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) Covid-19 é de 93,40% no final desta quinta-feira (8).

Com o alto número de mortes, existem 42 vagas disponíveis para novas internações em MS. Então, das 636 UTIs, 594 estão ocupadas por pacientes Covid-19.

Nos leitos clínicos a ocupação caiu para 62,57%. Assim, são 839 pessoas internadas. Ou seja, dos 1.341 leitos existentes, 502 ainda estão livres para novas internações.

O Jornal Midiamax acompanha diariamente os índices de ocupação dos leitos do Estado pelo Painel Mais Saúde, da SES (Secretaria de Estado de Saúde). Nesta quinta-feira (8), a taxa de ocupação baixou até os 91%, se mantendo neste índice até às 17h50. Às 18h o nível de lotação subiu 2%, com cinco internações a mais.

Os índices são os menores das últimas três semanas. O Estado manteve superlotação dos leitos durante quase março inteiro.

Nesta semana, a secretária-adjunta da Saúde Crhistinne Maymone destacou que MS passa por respiro nos leitos apenas pela grande quantidade de mortes. “Temos tido sim, uma pequena diminuição de pacientes internados. Mas temos aumento de óbitos, o leito fica vago porque a pessoa faleceu. Infelizmente, é o que estamos vivenciando”, lamentou.

Circulação do vírus e mortes

Ao Jornal Midiamax, o enfermeiro Everton Lemos, doutor em infectologia e colaborador da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), já disse que quanto maior a mobilidade das pessoas no Estado, mais o vírus circula.

Assim, destaca que “com a alta circulação do vírus e o baixo isolamento social em Mato Grosso do Sul, o número de pessoas infectadas que precisam de assistência na rede de atenção à saúde aumenta”. Então, se maior número de pessoas forem internadas, mais mortes ocorrem no Estado pela gravidade do caso da Covid-19.

A última queda considerável de mortes em MS aconteceu durante os 10 dias de restrições para controle da pandemia. Nestes dias, as mortes causadas por Covid-19 caíram 49,5% no Estado. Foram 168 óbitos em todo o MS, de 26 de março a 4 de abril. Apesar de alto, o número é quase metade do que o Estado registrou anteriormente na mesma quantidade de dias. Os casos novos confirmados também diminuíram e estabilizaram levemente as infecções.

Além disso, com os 10 dias de restrições, MS teve queda de 11,9% dos novos infectados. Com esses dois fatores, a letalidade da Covid-19 no Estado caiu para 1,8% neste período. Para a reportagem, o Jornal Midiamax usou microdados disponibilizados pela SES.

O recorte para comparação é de 12 até 21 de março, os 10 dias anteriores às medidas restritivas de Campo Grande, já que as medidas da Capital também tiveram impacto no Estado. Durante a semana do ‘fecha tudo’ em Campo Grande, MS registrou menos 11% de mortes causadas pelo coronavírus.

Jornal Midiamax