Cotidiano

Prefeitura revoga previsão de psicotécnico para motorista de táxi entrar em curso de formação

A Prefeitura de Campo Grande revogou a exigência de avaliação psicopedagógica para motoristas que pretendem atuar como taxistas entrarem no curso de formação – a norma que rege o serviço foi editada em 1993. Segundo o presidente do Sindtáxi (Sindicato dos Taxistas), Fernando Yukio Yonaka, a medida divulgada no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) […]

Mayara Bueno Publicado em 17/02/2021, às 11h57

Taxistas de Campo Grande; Imagem ilustrativa. (Foto: Leonardo de França, Jornal Midiamax, Arquivo).
Taxistas de Campo Grande; Imagem ilustrativa. (Foto: Leonardo de França, Jornal Midiamax, Arquivo). - Taxistas de Campo Grande; Imagem ilustrativa. (Foto: Leonardo de França, Jornal Midiamax, Arquivo).

A Prefeitura de Campo Grande revogou a exigência de avaliação psicopedagógica para motoristas que pretendem atuar como taxistas entrarem no curso de formação – a norma que rege o serviço foi editada em 1993. Segundo o presidente do Sindtáxi (Sindicato dos Taxistas), Fernando Yukio Yonaka, a medida divulgada no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) desta quarta-feira (17) atende um pedido da categoria.

Até então, para entrarem no curso, os candidatos deveriam se submeter à avaliação psicotécnica, aplicada pelo Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul). Contudo, motoristas passam pelo exame quando incluem na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) a observação de EAR (Exercendo Atividade Remunerada). De acordo com o Departamento de Trânsito, para esta inclusão, o motorista precisa dar entrada no processo, pagar guia, tira nova foto e faz os exames psicotécnico e médico.

“Conversamos com a Agetran [Agência de Trânsito e Transporte], pedindo que mudasse essa regra, que é de 1993, como a gente faz renovação na CNH, somos avaliados por psicólogo. O intuito é baratear e desburocratizar o processo [para quem tem intenção de se tornar motorista de taxi]”, disse o presidente.

O artigo 4º do Decreto 6.747 de 24 de maio de 1993, cujo parágrafo primeiro foi revogado, prevê apresentação de documentos e cumprimento de outras regras, para admissão do motorista no curso de formação. Entre eles, estava a avaliação psicopedagógica.

Jornal Midiamax