Cotidiano

Prefeitura de Dourados inicia repasses de R$ 2,5 milhões para manutenção de escolas

Pagamento será realizado em 10 parcelas, conforme a Secretaria Municipal de Educação

Marcos Morandi Publicado em 08/04/2021, às 06h40

Verbas começam a ser liberadas nas escolas da Rede Municipal
Verbas começam a ser liberadas nas escolas da Rede Municipal - Leandro Silva

As escolas da REME (Rede Municipal de Ensino) começam a receber nesta quinta-feira (8), repasses da verba de manutenção para as escolas da REME (Rede Municipal de Ensino) nesta quinta-feira (7). O pagamento será realizado em 10 parcelas que totalizarão R$ 2,5 milhões para as 46 escolas e 38 CEIMs (Centro de Educação Infantil Municipal).

Segundo a secretária municipal de Educação, Ana Paula Benitez Fernandes, o total repassado para cada escola é somado de acordo com a quantidade de crianças definida pelo censo do ano anterior. As ações são definidas em conjunto entre a coordenação da escola e as APM (Associação de Pais e Metres) de cada instituição.

“Esse repasse é de suma importância para a manutenção das escolas e vamos realizar o primeiro pagamento nesta quinta-feira (8). Parte do valor repassado é investido em materiais para confecção das apostilas encaminhadas aos alunos no ensino remoto e ainda pode ser destinado para reparos na estrutura”, pontua Ana Paula.

Na Escola Municipal Loide Bonfim Andrade, a verba além de dar o suporte ao aluno, também possibilitará pequenos reparos no prédio da instituição. O diretor da escola, Diogo Ferreira de Moraes, revela que numa reunião com a APM foi definido que a fachada receberia uma nova pintura.

“Nós já fizemos o orçamento e estamos esperando o repasse para dar início às ações. Essa foi uma das medidas escolhidas em reunião com a Associação de Pais e Mestres. Com isso, as escolas podem dar andamento para ações. Será investido também em materiais de limpeza, manutenção de escolas e insumos necessários para encaminhar às crianças, que estão tendo aulas online”, explica.

Já na Escola Municipal Dom Aquino Corrêa, as principais ações estão voltadas para a compra dos materiais para elaborar os materiais encaminhados para os alunos. A diretora, Rosana Cherigatti de Oliveira, ressalta que com o ensino remoto houve um aumento na demanda por itens de papelaria, como folha sulfite e tinta para impressora.

“Alguns dos nossos alunos não têm acesso a internet e os pais buscam a instituição para buscar os cadernos que são produzidos pelos professores. Com o ensino remoto é comum que haja esse aumento, diferente do que ocorre quando as aulas são presenciais, e o repasse garante a compra desses materiais”, conta.

Jornal Midiamax