Cotidiano

Por acesso ao ensino superior, mais de 1,2 mil presos de MS fazem o Enem essa semana

A prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) será aplicada esta semana a 1.226 presos em Mato Grosso do Sul. O total abrange detentos custodiados da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), presos da Penitenciária Federal de Campo Grande e adolescentes que cumprem medidas socioeducativas. Conforme a chefe da Divisão de […]

Gabriel Maymone Publicado em 24/02/2021, às 09h08 - Atualizado às 16h47

Presos de MS que querem obter certificado do ensino médio irão fazer a prova do Enem. (Foto: Divulgação / Agepen)
Presos de MS que querem obter certificado do ensino médio irão fazer a prova do Enem. (Foto: Divulgação / Agepen) - Presos de MS que querem obter certificado do ensino médio irão fazer a prova do Enem. (Foto: Divulgação / Agepen)

A prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) será aplicada esta semana a 1.226 presos em Mato Grosso do Sul. O total abrange detentos custodiados da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), presos da Penitenciária Federal de Campo Grande e adolescentes que cumprem medidas socioeducativas.

Conforme a chefe da Divisão de Educação da Agepen, Rita de Cássia Argolo Fonseca, no primeiro dia, a aplicação das provas terá a duração de cinco horas e 30 minutos; já no segundo, serão disponibilizadas cinco horas para a realização do exame.

“Em ambos os dias serão disponibilizados, ainda, tempo adicional de 60 minutos para o participante que, por meio do seu responsável pedagógico solicitou atendimento especializado e inseriu seu documento de comprovação da sua solicitação e teve deferimento”, explicou.

No Presídio de Trânsito de Campo Grande realizou a inscrição de 40 presos. Em Ponta Porã, as provas do regime semiaberto e aberto serão feitas no Patronato Penitenciário do município, contemplando 11 inscritos.

Enem

De acordo com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), o Enem PPL pode ser usado para pleitear vagas no ensino superior público pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificada), para concorrer a bolsas no ensino superior privado pelo ProUni (Programa Universidade para Todos) e para obter financiamento pelo Fies (Fundo de Financiamento Estudantil).

O Instituto esclarece que, no caso deste exame voltado às pessoas em privação de liberdade, cada unidade prisional ou socioeducativa tem um responsável pedagógico que realiza as inscrições; ensalamento; transferência de participantes entre as unidades, dentro do prazo previsto para inscrição; efetivando ainda a exclusão de participantes que tiverem sua liberdade decretada.

O responsável pedagógico também acessa os resultados obtidos pelos participantes, e pode inscrevê-lo nos programas de acesso ao ensino superior. *Matéria alterada às 16h50 para correção de informação

Jornal Midiamax