Cotidiano

Particulares de Campo Grande se preparam para possível suspensão de aulas presenciais

Com a definição do Governo do Estado em recuar do ensino híbrido, previsto para começar em MS a partir de abril, as escolas particulares já começam a se preparar para uma eventual suspensão das atividades presenciais em Campo Grande. As aulas nas escolas particulares retornaram de forma híbrida no final de janeiro.  Conforme a presidente […]

Mariane Chianezi Publicado em 09/03/2021, às 15h23 - Atualizado em 10/03/2021, às 09h43

 (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)
(Foto: Henrique Arakaki, Midiamax) - (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Com a definição do Governo do Estado em recuar do ensino híbrido, previsto para começar em MS a partir de abril, as escolas particulares já começam a se preparar para uma eventual suspensão das atividades presenciais em Campo Grande. As aulas nas escolas particulares retornaram de forma híbrida no final de janeiro. 

Conforme a presidente do Sinepe (Sindicato das Escolas Particulares), Maria da Glória Paim Barcellos, as instituições vão aguardar as decisões do Município e do Governo do Estado, e que estão preparados para qualquer possibilidade de suspensão. “Já passamos por isso no ano passado”, frisou a professora.

Em janeiro, alguns colégios retomam as aulas de maneira híbrida, ou seja, uma ‘mistura’ do ensino presencial e online. Conforme determinado pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), o limite da capacidade nas salas de aula será de 50% para ensino infantil e 30% para nível fundamental e médio. 

Após o secretário de Saúde de MS, Geraldo Resende, afirmar que defendia a suspensão do ensino híbrido para abril nas escolas estaduais, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) anunciou nesta terça-feira (9) o recuo da medida, mantendo os alunos em casa e estudando de maneira 100% remota.

Suspensão do ensino híbrido e pacto nacional

Reinaldo anunciou, durante live na manhã desta terça-feira, que as aulas da rede estadual serão de forma remota – e não mais híbrida como havia sido definido. Além disso, anunciou a adesão de MS ao pacto nacional de governadores para implementar uma série de medidas para conter o avanço da Covid-19 de forma uniforme no país.

Assim, não há previsão para o retorno presencial dos alunos nas escolas. “Voltaremos quando a ciência e saúde puder nos orientar que tenhamos segurança”, pontuou o governador, complementando que a recomendação para a medida partiu do COE (Comitê de Operações Emergenciais).

Então, a partir de quarta-feira (10), os alunos da rede estadual passarão a ter aulas online, como estava sendo feito no ano passado. A volta às aulas começou no dia 1º de março, sendo que o retorno de forma híbrida estava previsto para ocorrer a partir de abril.

Jornal Midiamax