Cotidiano

Operação fiscaliza 273 comércios e aborda 45 pessoas nas ruas em Campo Grande

Agentes estiveram nas ruas no quarto dia de ‘fecha tudo’ para fiscalização sobre o cumprimento dos decretos municipal e do toque de recolher em Campo Grande. Ao todo, 273 estabelecimentos comerciais foram fiscalizados na Capital e seis locais receberam boletim de vistoria e orientação na quinta-feira (25). A operação ainda abordou 45 pessoas circulando nas […]

Mylena Rocha Publicado em 26/03/2021, às 09h14 - Atualizado às 14h34

(Foto: Divulgação/GCM)
(Foto: Divulgação/GCM) - (Foto: Divulgação/GCM)

Agentes estiveram nas ruas no quarto dia de ‘fecha tudo’ para fiscalização sobre o cumprimento dos decretos municipal e do toque de recolher em Campo Grande. Ao todo, 273 estabelecimentos comerciais foram fiscalizados na Capital e seis locais receberam boletim de vistoria e orientação na quinta-feira (25). A operação ainda abordou 45 pessoas circulando nas ruas depois do toque de recolher e um motorista foi multado por dirigir alcoolizado. 

A GCM (Guarda Civil Metropolitana) realizou ações de fiscalização nas sete regiões da Capital: Anhanduizinho, Bandeira, Centro, Imbirussu, Lagoa, Prosa e Segredo. Além da fiscalização, a Guarda ainda participou de operação conjunta com Vigilância Sanitária, Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) e Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

Ao todo, foram 273 estabelecimentos fiscalizados, sendo que seis receberam o boletim de orientação. Durante o toque de recolher, 45 pessoas foram abordadas nas ruas e orientadas a ficar em casa. Conforme dados da GCM, o número 153 recebeu 257 ligações somente na quinta (25), sendo que 145 eram sobre descumprimento das normas do decreto municipal.

Também foi realizada uma blitz Lei Seca, da GCM com o Detran-MS (Departamento de Trânsito de Mato Grosso do Sul) e Agetran. Ao todo, foram feitas 347 abordagens, sendo 278 carros e 69 motos. Conforme dados da blitz, 271 condutores passaram pelo teste do bafômetro, mas seis recusaram. Segundo balanço da blitz, um dos motoristas não tinha CNH (Carteira Nacional de Habilitação), dois estavam com o CRLV (Certificado de registro e licenciamento de veículo) vencido e um motorista dirigia alcoolizado.

Jornal Midiamax