Cotidiano

Bandeira vermelha: Campo Grande prorroga toque de recolher para frear coronavírus

Classificado com a bandeira vermelha do Prosseguir, Campo Grande deve continuar com o toque de recolher. O prefeito Marquinhos Trad (PSD) disse nesta quinta-feira (25) que o decreto será prorrogado e, portanto, continuará proibida a circulação de pessoas das 23h às 5h na Capital.  O novo mapa de risco do Prosseguir foi divulgado na quarta-feira […]

Mylena Rocha Publicado em 25/02/2021, às 09h49 - Atualizado às 18h32

(Foto: Divulgação/GCM)
(Foto: Divulgação/GCM) - (Foto: Divulgação/GCM)

Classificado com a bandeira vermelha do Prosseguir, Campo Grande deve continuar com o toque de recolher. O prefeito Marquinhos Trad (PSD) disse nesta quinta-feira (25) que o decreto será prorrogado e, portanto, continuará proibida a circulação de pessoas das 23h às 5h na Capital. 

O novo mapa de risco do Prosseguir foi divulgado na quarta-feira (24) e Campo Grande recebeu a classificação de risco alto para transmissão do coronavírus. Apesar da classificação, o prefeito disse que não deve adotar novas restrições, além do toque de recolher.

Não só na Capital, os casos de coronavírus têm crescido em todo o estado e o prefeito atribuiu o avanço da doença ao ponto facultativo do Carnaval. Apesar da Prefeitura de Campo Grande ter cancelado o ‘feriadão’ de Carnaval, o Governo do Estado e algumas empresas privadas mantiveram o ponto facultativo. Marquinhos Trad comentou que houve movimentação no estado e que o resultado vem 15 dias depois do feriado.

“Está acontecendo isso por causa do ponto facultativo, liberaram. Quantas caravanas não saíram de Campo Grande para Terenos, Bandeirantes, Sidrolândia, Bonito. Agora, 15 dias depois, lá não tem leito, estão mandando pra cá, ontem foram quase 20 paciente do interior”, disse.

Ainda assim, o prefeito ressalta que Campo Grande continuará atendendo pacientes do interior que precisem de leitos. “Recebemos de Coronel Sapucaia, Dourados, Três Lagoas. Eu não vou recursar leitos pra seres humanos”.

Aumento de casos de Covid-19

As tradicionais festividades do Carnaval foram canceladas, mas alguns trabalhadores tiveram folga e houve movimentação pelo estado. Pouco mais de uma semana depois do feriado prolongado, o comportamento da população já reflete nos números da pandemia em MS. Somente no boletim da quarta-feira (24), foram mais de mil casos novos de Covid-19 confirmados.

O secretário da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Geraldo Resende,  atribuiu o avanço da doença ao feriado prolongado em MS. “Temos a sinalização de que, infelizmente, teremos um acréscimo significativo de casos novos. A média nível e o número de internações está aumentando significativamente, principalmente em Dourados, Naviraí, Ponta Porã e também em Campo Grande”, disse o secretário durante live da SES.

Jornal Midiamax