Cotidiano

MS registra queda de 21,5% nos nascimentos nos primeiros meses de 2021

Campo Grande registrou queda de mais de 21% nos nascimentos, um efeito que pode estar ligado a pandemia do novo coronavírus

Mylena Rocha Publicado em 29/03/2021, às 14h00

Em Campo Grande, queda nos nascimentos foi de 53%. (Foto: Agência Brasil)
Em Campo Grande, queda nos nascimentos foi de 53%. (Foto: Agência Brasil) - Em Campo Grande, queda nos nascimentos foi de 53%. (Foto: Agência Brasil)

Com a pandemia de coronavírus, o número de nascimentos registrados em Mato Grosso do Sul caiu nos primeiros meses de 2021. Dados mostram que em janeiro e fevereiro foram registrados 5.620 bebês em MS, uma queda nos nascimentos de 21,5% em comparação com os mesmos meses do ano passado, quando a pandemia ainda não havia começado. 

Os dados do Portal da Transparência do Registro Civil mostram que foram 3.606 registros de nascimentos emitidos em janeiro e 2.014 em fevereiro em Mato Grosso do Sul. Dos 5.620 nascimentos registrados neste ano no Estado, 1.887 são de Campo Grande

A Capital registrou uma queda ainda maior no número de nascimentos registrados: 53,5%. Se, neste ano foram 1.887 novos bebês, no ano passado o número era maior, de 2.554 nascimentos em Campo Grande.

Os dados mostram uma tendência contrária ao que se acreditava no começo da pandemia. Antes, a teoria era de que, com os casais passando mais tempo em casa, haveria um ‘baby boom’, ou explosão de bebês na tradução literal. Porém, conforme a pandemia foi passando, os dados mostraram que a insegurança e o medo da crise econômica acabaram na diminuição dos nascimentos no Brasil e em Mato Grosso do Sul. 

Pesquisadores apontam que mesmo que haja um aumento de nascimentos após a pandemia, o mundo já tem vivido uma diminuição na taxa de fecundidade. Dados mostram que A taxa de fecundidade no Brasil era de 6,16 filhos em 1940, atingiu 1,87 em 2010 e pode cair ainda mais, segundo relatório Situação da População Mundial, divulgado pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Jornal Midiamax