Cotidiano

Com mais 49,5 mil doses na sexta, MS pode pode abrir vacinação para quem tem mais de 75 anos

A SES (Secretaria Estadual de Saúde) inicia na manhã de sexta-feira (26) a distribuição de 49.548 doses da vacina contra Covid-19 aos municípios de Mato Grosso do Sul. A demora ocorre pois agentes das forças de segurança, que auxiliam nas entregas, estão envolvidas na aplicação do Enem prisional. “Amanhã cedo nós entregaremos [as doses] a […]

Gabriel Maymone Publicado em 25/02/2021, às 08h56 - Atualizado às 12h22

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação) - (Foto: Divulgação)

A SES (Secretaria Estadual de Saúde) inicia na manhã de sexta-feira (26) a distribuição de 49.548 doses da vacina contra Covid-19 aos municípios de Mato Grosso do Sul. A demora ocorre pois agentes das forças de segurança, que auxiliam nas entregas, estão envolvidas na aplicação do Enem prisional.

“Amanhã cedo nós entregaremos [as doses] a todos os municípios e pedimos que eles façam programação com mutirões no sábado e domingo“, declarou o secretário de saúde de MS, Geraldo Resende.

Em relação ao público que será vacinado, a recomendação da SES é de que os municípios concluam a vacinação dos idosos a partir de 80 anos e dos profissionais de saúde acima de 60 anos. “Onde já fizeram de todos os idosos [com 80 anos ou mais] e profissionais de saúde avancem para idosos a partir de 75 anos“, informou o secretário.

Em Campo Grande, por exemplo, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) espera saber quantas doses irá receber para definir a estratégia de vacinação. A vacinação a idosos a partir de 80 anos já foi concluída, mas a pasta pode optar por utilizar as novas doses para a aplicação da 2ª dose dos idosos, que começa na próxima semana.

Novas doses

Nesse quantitativo que será distribuído aos municípios, estão 35,7 mil recebidos pelo Estado na noite de quarta-feira (24) do Ministério da Saúde, composto por 22,5 mil doses da AstraZeneca/Oxford e 13,2 mil da CoronaVac – produzida pelo Instituto Butantan.

Além dessa nova remessa, MS obteve autorização do governo federal para remanejar outras 13.848 doses de indígenas que se recusaram a tomar para que possam ser aplicadas em idosos. “Queremos com isso, construir possibilidade de imunizar quem de fato está ávido, ansioso para ter acesso à vacina”, disse Resende ao anunciar a medida.

Entretanto, caso haja o convencimento dessa população indígena em receber a imunização, o Estado deverá remanejar novamente de outros grupos para repor a eles. “É como se fosse um empréstimo”, detalhou.

Jornal Midiamax