Cotidiano

Colapso: MS chega a 821 internados e 100% de lotação no HRMS, HU e Santa Casa

Com 841 pacientes internados, Mato Grosso do Sul chegou ao pico da pandemia de coronavírus nesta sexta-feira (12). É o maior número de internações desde o início da pandemia e já faltam leitos nos principais hospitais de Campo Grande: HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), HU (Hospital Universitário) e Santa Casa.  O titular […]

Mylena Rocha Publicado em 12/03/2021, às 11h37 - Atualizado às 13h03

(Foto Ilustrativa: Henrique Arakaki)
(Foto Ilustrativa: Henrique Arakaki) - (Foto Ilustrativa: Henrique Arakaki)

Com 841 pacientes internados, Mato Grosso do Sul chegou ao pico da pandemia de coronavírus nesta sexta-feira (12). É o maior número de internações desde o início da pandemia e já faltam leitos nos principais hospitais de Campo Grande: HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), HU (Hospital Universitário) e Santa Casa. 

O titular da SES (Secretaria de Estado de Saúde) Geraldo Resende comentou durante live nesta sexta-feira (12) que a situação é tão crítica, que hospitais têm leitos improvisados para acomodar os pacientes. “Muitas pessoas estão em leitos críticos, que são leitos improvisados, em locais inadequados: a ala vermelha, pronto-socorros, centros cirúrgicos, já que não estamos fazendo cirurgias eletivas, isso tudo nos preocupa”, comentou o secretário. 

No boletim da SES desta sexta-feira (12), não há dados sobre a taxa de ocupação de leitos na macrorregião de Campo Grande por que a Central de Regulação da Capital não encaminhou a ocupação de leitos Não COVID-19. Porém, o secretário comentou que não há leitos no HRMS, HU e Santa Casa.

Resende ainda chamou a atenção para o fato de que MS quebrou novamente o recorde em ocupação de leitos. “Temos batendo dia a dia o recorde de internações, hoje vai a 821 pessoas em leitos hospitalares em MS. Chegamos há pouco mais do que 300 em fevereiro”, disse.

O secretário ressaltou que as medidas impostas pelo decreto estadual são necessárias para frear o avanço do coronavírus em MS. Ele frisou que a saúde não trabalha contra o avanço da economia, mas que medidas tiveram que ser tomadas para evitar novas mortes.

Já a secretária adjunta Crhistinne Maymone chamou a atenção para a quantidade de internações em Mato Grosso do Sul. Ela comenta que pessoas jovens têm sido internadas em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e que até crianças apresentam quadros graves. “Temos 18 leitos pediátricos ocupados, estamos repetindo a mesma situação que os outros estados têm”, ressalta.

Mato Grosso do Sul tem batido recordes no número de internações na última semana. Na sexta-feira passada (5), MS chegou ao pico com 712 internados com coronavírus, foi o maior número de internações registradas até então, desde o início da pandemia. Logo na segunda-feira (8), o recorde foi ultrapassado e MS chegou a 724 internações. Na terça (9), MS bateu o recorde novamente e chega ao pico da pandemia com 725 leitos ocupados.

Na quarta-feira (10), novamente: MS chegou a 754 internações. Na quinta-feira (11), Mato Grosso do Sul bateu o recorde de internações pela quinta vez, com 780 internados. Nesta sexta (12), MS tem 41 pacientes a mais, chegando ao número de 821 internações.

Jornal Midiamax