Cotidiano

HRMS não esclarece queimadura de paciente e família insiste que rapaz foi esquecido em exame

Após família denunciar suposto caso de negligência envolvendo paciente que teria sido esquecido em equipamento de tomografia durante exame e sofrido queimaduras nos pés, o HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) não esclareceu detalhes sobre o caso, se limitando a dizer que o rapaz de 39 anos deu entrada na unidade já com […]

Karina Campos Publicado em 25/02/2021, às 15h14 - Atualizado em 26/02/2021, às 08h52

Fábio corre risco de ter pé amputado após ser esquecido em aparelho no HRMS. (Foto: Arquivo pessoal)
Fábio corre risco de ter pé amputado após ser esquecido em aparelho no HRMS. (Foto: Arquivo pessoal) - Fábio corre risco de ter pé amputado após ser esquecido em aparelho no HRMS. (Foto: Arquivo pessoal)

Após família denunciar suposto caso de negligência envolvendo paciente que teria sido esquecido em equipamento de tomografia durante exame e sofrido queimaduras nos pés, o HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) não esclareceu detalhes sobre o caso, se limitando a dizer que o rapaz de 39 anos deu entrada na unidade já com as queimaduras em um dos pés. De acordo com a família, o paciente foi supostamente ferido no hospital em uma primeira internação ocorrida no dia 16 de fevereiro.

Em nota, a unidade disse que o paciente Fabio Aparecido de Assis, que se encontra internado sob orientação médica, é acamado e não contactuante, ou seja, que não responde a estímulos que são oferecidos. Ele deu entrada no HRMS pela última vez no dia 18 de fevereiro com a lesão no dorso do pé direito, com bolhas de queimaduras.

“Ou seja, ele já estava com a lesão quando deu entrada no nosocômio. Orientamos a família procurar a ouvidoria do HRMS para formalizar a queixa para que possamos respondê-los”, comunica a nota.

Apesar dos questionamentos da reportagem, o hospital não esclareceu, no entanto, que as queimaduras do rapaz teriam ocorrido, conforme a família, em uma internação anterior, no dia 16 de fevereiro.

O hospital ainda diz que não passará mais informações sobre o caso e que a família precisa registrar a reclamação na ouvidoria da unidade.

O que diz a família

A irmã do paciente, Fabiana de Assis Macucci, em entrevista ao Jornal Midiamax, constestou a resposta do hospital. A família explica que Fabio sofreu as queimaduras na primeira internação, ele deu entrada na unidade no dia 16 de fevereiro. Ele é deficiente físico e intelectual e procurou o hospital pois estava sentindo falta de ar.

“Disseram que poder ser coronavírus, então, ficou internado”, disse. No dia seguinte, em 17 de fevereiro, realizaram vários exames no rapaz para avaliar o estado de saúde. Porém, ao realizar um exame de tomografia, a equipe teria esquecido o paciente no equipamento, causando queimaduras no pé dele. “Falaram que tinham esquecido uns minutinhos e que iria ser só um queimadinho”, disse.

Logo, no dia 18, ele recebeu alta e voltou para casa. Porém, quando o tio de Fábio, que o acompanha no hospital, tirou a faixa que ele usa no pé para dar banho no sobrinho, viu a situação da queimadura. E o rapaz foi levado novamente ao hospital.

O pé do paciente começou a piorar e o médico que atendeu Fábio dia 18 indicou internação novamente, agora para tratar o pé. “Ele tá lá, mas não estão fazendo nada, está cada dia pior”, lamentou.

Jornal Midiamax