Cotidiano

Há um ano ‘trancada’ em casa se protegendo da Covid, dona Jô precisa de ajuda para comprar oxigênio

‘Trancada’ em casa, desde o início da pandemia para se proteger contra a Covid-19, Jocilha Antonia dos Santos, mais conhecida como Dona Jô, de 86 anos, do bairro Moreninhas, em Campo Grande, precisa de ajudar para poder voltar a se locomover, ir ao médico e ir às ruas, sentir o ar livre. Após ser vacinada, […]

Karina Campos Publicado em 02/03/2021, às 13h30 - Atualizado em 03/03/2021, às 11h26

Dona Jô ao lado de filha. (Foto: Reprodução/Leitor Midiamax)
Dona Jô ao lado de filha. (Foto: Reprodução/Leitor Midiamax) - Dona Jô ao lado de filha. (Foto: Reprodução/Leitor Midiamax)

‘Trancada’ em casa, desde o início da pandemia para se proteger contra a Covid-19, Jocilha Antonia dos Santos, mais conhecida como Dona Jô, de 86 anos, do bairro Moreninhas, em Campo Grande, precisa de ajudar para poder voltar a se locomover, ir ao médico e ir às ruas, sentir o ar livre. Após ser vacinada, a idosa necessidade de cilindros de oxigênio.

A filha, Suzana Maria Antonia dos Santos, conta que admira a mãe pela força e vontade de viver, mesmo em tempos difíceis e dificuldade financeiras. Durante o isolamento, tiveram que redobrar os cuidados, mas os remédios aumentaram de valor, e não estão conseguindo adquirir todos. Para comprar o necessário, a família criou uma vaquinha.

“Ela sempre foi uma mulher ativa, guerreira, me ajudava em tudo e muito mais. Só que há alguns anos, desenvolveu doenças muito graves. Ela sofre de Alzheimer, tem um enfisema e embolia pulmonar, onde só um pulmão funciona, tem doença de chagas, pressão alta, tireoide, labirintite, hipertensão, a lista de doenças de Dona Jô é imensa”, lamenta.

Há um ano ‘trancada’ em casa se protegendo da Covid, dona Jô precisa de ajuda para comprar oxigênio
Suzana conta que mãe pede para passear, mas precisa do oxigênio. Foto: Reprodução/Leitor Midiamax)

Suzana é costureira, como dotes da idosa, mas com a saúde da mãe ainda mais debilitada, não conseguiu outro emprego e está lutando para manter as contas de casa, somada ao lutar para manter o bem-estar da idosa.

“Ela recebeu a primeira dose da vacina, então ela diz que quer ir comigo no mercado, esses dias queria muito ir na farmácia comigo, mas não tem como pela falta do oxigênio. Ela tem uma cadeira de rodas novinha, mas ficamos em isolamento, ela não foi usada. Ela quer muito sair, mas não podemos sem o cilindro”, disse.

Além do oxigênio, o médico de Dona Jô também indicou uma cama hospital e ideal para a coluna. “Ela não consegue e não tem posição para ficar sentada, temos que ficar adaptando para ela deitar no sofá, na cama”, conta.

A família também pede doações de alimento e retalhos de tecidos para conseguirem produzir materiais na costura. As doações depositadas pela conta Nubank; agência: 0001; conta: 48286826-8; CPF: 608.852.461-87; nome: Suzana Maria Antonia dos Santos, ou via PIX no 67 99223-8744. Para conhecer mais a história e contato com a família, o telefone também é o mesmo.

Confira o vídeo: 

Jornal Midiamax