Cotidiano

Fome na pandemia: pedidos por comida aumentam e doações diminuem em ONGs de MS

Com situação de fome agravada pela pandemia de Covid-19 em todo o Brasul, as ONG’s (Organizações não Governamentais) que ajudam famílias carentes estão vivendo momento de escassez de mantimentos e impedidos de atender os mais necessitados. Em Mato Grosso do Sul a situação não é diferente. O desemprego e o isolamento social estão ‘contribuindo’ para […]

Fábio Oruê Publicado em 30/03/2021, às 14h15

Doação de cestas básicas durante ação realizada pelo Instituto Maná do Céu. (Foto: reprodução/Instituto Maná do Céu)
Doação de cestas básicas durante ação realizada pelo Instituto Maná do Céu. (Foto: reprodução/Instituto Maná do Céu) - Doação de cestas básicas durante ação realizada pelo Instituto Maná do Céu. (Foto: reprodução/Instituto Maná do Céu)

Com situação de fome agravada pela pandemia de Covid-19 em todo o Brasul, as ONG’s (Organizações não Governamentais) que ajudam famílias carentes estão vivendo momento de escassez de mantimentos e impedidos de atender os mais necessitados. Em Mato Grosso do Sul a situação não é diferente.

O desemprego e o isolamento social estão ‘contribuindo’ para a falta de renda das famílias o que fez os pedidos de ajuda aumentarem nas instituições de caridade. Por outro lado, as ONGs não têm recebido doações suficientes para atender as pessoas que necessitam.

No ano passado, a situação de aumento de fome relacionada com a crise da pandemia já era realidade no Brasil. Em levantamento divulgado em setembro de 2020 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), constava que pelo menos 10,3 milhões de brasileiros viviam com insegurança alimentar grave.

Aliado a isso, o crescente desemprego registrado em 2021 em razão do agravamento da pandemia em todo o país também contribui para a dificuldade de muitas famílias em se alimentar. Neste mês de março, também segundo o IBGE, os níveis de desemprego baterem recorde no Brasil.

Realidade regional

“No final do ano a gente fez o reabastecimento das famílias para o Natal e conseguimos fazer uma arrecadação, mas de janeiro para cá está bem complicado. A gente está recebendo do Mesa Brasil verduras e legumes. Está bem difícil e as procuras são muitas, mais de 15 ligações por dia solicitando cesta de alimentos”, disse a presidente do Instituto Maná do Céu, Carla Rodrigues.

Segundo ela, a ajuda para as 500 famílias cadastradas se manteve em 2020 com valores repassados da Fundação Itaú e do Mesa Brasil, programa do Sesc (Serviço Social do Comércio), mas em 2021 a situação não está favorável. “Agora nós estamos nos organizando para uma campanha de Páscoa, mas pensando: ‘Do que adianta dar chocolate se a família não tem o alimento?'”, desabafou ela.

O mesmo acontece com a Associação Amigos de Maria, que atende 140 famílias carentes do Jardim Noroeste, em Campo Grande. “Está bem mais difícil depois do início da pandemia. Nós estamos fazendo campanha desde março do ano passado e as doações vem diminuindo de lá para cá, mas a gente continua firme e forte porque é o momento que eles mais precisam”, disse uma das diretoras da ONG, Glauciene Santi.

Ela explicou que a grande maioria das crianças tinha uma “segurança alimentar” ao ir para a escola e nos projetos da associação, e ambos pararam por conta da pandemia. “Nós continuamos dando apoio e suporte por meio do What’sApp da nossa assistente social e os pedidos são muitos”, revelou.

Aumento da demanda

Tanto o Maná do Céu quanto o Amigos de Maria tiveram aumento na procura de famílias que não estão cadastradas, mas que passavam necessidade e precisavam de ajuda. “No ano passado nós tivemos uma demanda dos trabalhadores do transporte escolar e do pessoal do circo que nos procuraram. Conseguimos atender mais de 10 mil pessoas”, contou Carla.

“Nós viramos uma espécie de referência no bairro e todo mundo procura nossa assistente social, que mora lá. E nós tentamos atender a todos na medida do possível”, explicou Glauciene, completando que se juntou com outras instituições que atendem a região para dar apoio as famílias.

Como doar?

  • Instituto Maná do Céu 

PIX:[email protected]

Site: https://manadoceu.org.br/

Campanha de doação pelo Imposto de Renda:

As doações podem ser feitas diretamente na plataforma da Receita Federal, com a escolha do nome e CNPJ da instituição e o valor, que pode ser de até 3% do valor devido, com isso, os contribuintes que optarem pela doação terão redução no valor do imposto a pagar ou aumento no valor da restituição.

Quem se adiantou e já enviou a Declaração do Imposto de Renda 2021 pode retificar a Declaração de Ajuste Anual e incluir a doação no processo, sem custo algum.

O passo a passo para realizar a Restituição Solidária está no site da Receita Federal. O CNPJ e demais informações sobre o Instituto Maná do Céu para os Povos podem ser obtidas no site.

  • Associação Amigos de Maria

Banco do Brasil: agência 5807-6 / conta 267-4 /CNPJ: 10.452.750/0001-58

PIX: 10542750000158

Caixa Econômica Federal: agência 0017 / conta 2071-8 / operação 003

Instagram: @assocamigosdemariams

Telefone: (67) 3344-0846

Site: www.amigosdemaria.com.br

Endereço: Avenida Indianápolis, 2020 – Jardim Noroeste

Jornal Midiamax