Cotidiano

Em uma semana, MS tem 142 novos internados e ocupação em UTIs chega a 90%

O avanço de casos graves de Covid-19 (coronavírus) pode ser percebida pelos números de internação divulgados pela SES (Secretaria Estadual de Saúde). Em uma semana, o número de pessoas hospitalizadas pela doença saltou de 509 para 651 em Mato Grosso do Sul, uma alta de 27,9%. Assim, o boletim da Covid-19 divulgado na terça-feira trouxe […]

Gabriel Maymone Publicado em 03/03/2021, às 08h37 - Atualizado às 11h53

(Foto: Ilustrativa/Arquivo Midiamax.)
(Foto: Ilustrativa/Arquivo Midiamax.) - (Foto: Ilustrativa/Arquivo Midiamax.)

O avanço de casos graves de Covid-19 (coronavírus) pode ser percebida pelos números de internação divulgados pela SES (Secretaria Estadual de Saúde). Em uma semana, o número de pessoas hospitalizadas pela doença saltou de 509 para 651 em Mato Grosso do Sul, uma alta de 27,9%.

Assim, o boletim da Covid-19 divulgado na terça-feira trouxe o pior cenário enfrentado no Estado nesta pandemia: uma taxa global de 90% dos leitos UTIs (Unidade de Terapia Intensiva) ocupados na rede pública. Pelo SUS, são 298 leitos existentes, sendo que 268 estavam ocupados.

Conforme os dados do painel ‘Mais Saúde’, a situação mais crítica verifica-se na marorregião de Campo Grande, que está com taxa de ocupação em 87%. Dos municípios dessa região, Chapadão do Sul não tem mais leitos críticos disponíveis e a Capital tem 90% das vagas ocupadas.

Já a macrorregião de Dourados está com taxa de ocupação em 85%, sendo que não há leitos UTIs disponíveis nos municípios de Naviraí e Ponta Porã. Também estão sem como atender novos pacientes graves as cidades de Paranaíba e Aparecida do Taboado, ambas na região nordeste de MS.

Em Corumbá, a ocupação dos leitos UTI chega a 70% e, em Três Lagoas, a situação é mais confortável, com 57% das vagas ocupadas.

Jornal Midiamax