Cotidiano

Em quatro meses, MS já registra 30 notificações de zika em oito municípios

Em 2020, foram registrados 80 casos da doença

Karina Campos Publicado em 08/04/2021, às 09h45 - Atualizado às 10h05

MS está em baixa incidência da doença.
MS está em baixa incidência da doença. - (Foto: Arquivo, Midiamax)

A SES (Secretaria Estadual de Saúde), publicou, nesta quarta-feira (8), o boletim epidemiológico de casos de zika, em Mato Grosso do Sul. Oito municípios já registram 30 casos da doença neste ano.

Conforme o monitoramento, Chapadão do Sul, Bataguassu, Deodápolis, Corumbá, Ivienhema, Jardim, Caarapó e Ponta Porã, registraram casos possíveis de zika, porém, sem confirmação. O boletim ressalta que o Estado ainda está em baixa incidência da doença.

Já as notificações de chikungunya somam 60 em 21 cidades, sendo Nioaque, Bataguassu, Ladário, Chapadão do Sul, Selvíria, Bandeirantes, Ivinhema, Aparecida do Taboado, Antônio João e Bonito, com maior incidência.

Dengue

Na última semana, o MS registrou 424 novos casos de dengue. Assim, já são 2.406 confirmações da doença no Estado desde o começo do ano. Então, no Estado a incidência da doença é de 240 casos para cada 100 mil habitantes. Em MS, 17 cidades já registraram alta incidência de dengue.

Assim, as com maiores taxas são de casos por 100 mil habitantes são: Camapuã (2 mil casos), Antônio João (1,9 mil), Bataguassu (1,8 mil casos), Corumbá (1,7 mil casos), Selvíria (1 mil casos). Outros 23 municípios estão com média incidência, 35 estão com baixo índice e quatro não apresentam incidência ainda.

Entre os municípios com mais casos confirmados estão: Três Lagoas (732), Corumbá (421), Rio Brilhante (210), Campo Grande (161), Antônio João (128) e Ladário (101).

Até o momento, MS possui cinco vítimas fatais da dengue. Assim, em 2021 já foram registradas mais mortes causadas por dengue do que em 2018, 2017 ou 2014.

Os últimos óbitos foram confirmados em março deste ano, em Três Lagoas e em Caarapó. Outras mortes por dengue já haviam sido confirmadas em Campo Grande, Dourados e Três Lagoas.

Jornal Midiamax