Em MS, isolamento social no Réveillon foi maior que na véspera de Natal

Ficar em casa nas celebrações de fim de ano foi a principal recomendação das autoridades em Saúde na reta final de 2020

O índice de isolamento social em foi maior nas festas de Réveillon que na véspera de . A informação é da startup InLoco, que monitora o deslocamento de pessoas como medida para auxiliar no enfrentamento à pandemia de novo coronavírus.

Segundo a empresa, 38,3% da população sul-mato-grossense ficou em casa no dia 31 de dezembro de 2020. Ou seja, em uma rua onde vivem 100 pessoas, 38 delas obedeceram às recomendações de isolamento para evitar o contágio pela covid-19.

Por outro lado, o índice foi inferior no dia 24 de dezembro, véspera de , quando 36,9% das pessoas permaneceram em casa.

Os dados regionais acompanham os resultados da média nacional. Segundo a InLoco, o percentual de isolamento social da população brasileira ficou em 38,2% no Réveillon, contra 37,4% no dia 24 de dezembro.

Ficar em casa e evitar aglomerações maiores nas celebrações das festas de foi a principal recomendação das autoridades em Saúde na reta final de 2020. Em Bonito, por exemplo, a tradicional queima de fogos na Praça Central foi suspensa.

Isto porque as contaminações pela covid-19 voltaram a subir, bem como as mortes pela infecção. fechou 2020 com 134.750 casos confirmados e 2.347 óbitos. Com os acréscimos do boletim de hoje (2) da SES (Secretaria de Estado de Saúde), o total chega a 135.361 contaminações e 2.360 mortes.

Em MS, isolamento social no Réveillon foi maior que na véspera de Natal
Mais notícias