Em meio a pandemia e carnaval indefinido, empresário anuncia bloquinho já para fevereiro

Organização aguarda definição de decreto municipal e reconhece que pode adiar ou cancelar evento

Mesmo com o carnaval de rua de Campo grande adiado, preliminarmente, para ocorrer entre maio e julho, empresas de eventos já arriscam a venda de ingressos e até de abadas para um bloco de carnaval particular, que pretende ser realizado no próximo dia 6 de fevereiro.

O Bloquinho B-Day já está no terceiro lote de vendas, mesmo com a pandemia do novo coronavírus ainda em curso e com a atual crise decorrente da falta de vacinas. O organizador do evento e dono da Receba Entretenimento, Fernando Lossavero, admite que tem ciência de que o bloco pode ser cancelado ou adiado, por conta da taxa de transmissão da doença, mas decidiu arriscar e diz que está planejando o evento há 4 meses.

Em meio a pandemia e carnaval indefinido, empresário anuncia bloquinho já para fevereiro
Divulgação do evento. (Foto: Reprodução)

“Mantenho minha posição, estamos aguardando a definição do Poder Público, mas estamos trabalhando até lá e o que a lei permitir. A casa do evento tem todos os alvarás, de Bombeiro, da , e além disso, tirando alvarás específicos para o evento. Estamos com uma engenheira civil e ambiental auxiliando no plano de biossegurança”, disse.

O empresário ressalta que a festa está no terceiro lote não pela procura, mas pela redução da venda de ingressos, que limita a capacidade máxima de pessoas nos locais. “Não é que a procura está maior, a carga de ingressos é mexida justamente para não lotar. Vamos manter o distanciamento de meses, trabalhar com as regras de biossegurança”.

A Fundação de Cultura de , em parceria com a e a Liga das Escolas de Samba de Campo Grande, optou por não realizar o carnaval 2021 nos dias oficiais, de 12 e 16 de fevereiro, para preservar a saúde do público neste momento de pandemia.

O decreto municipal limita em 40% de ocupação dos espaços menores segue válido desde que o número de pessoas presentes nos eventos não ultrapasse 80. O decreto também deixa restrito o compartilhamento de objetos. Outro impasse é o início do toque de recolher das 22h às 5h. As determinações são válidas até o dia 6 de fevereiro.

Adiamento de eventos públicos

A Fundação de Cultura de , em parceria com a e a Liga das Escolas de Samba de Campo Grande, optou por não realizar o carnaval 2021 nos dias oficiais, de 12 e 16 de fevereiro, para preservar a saúde do público neste momento de pandemia.

O período previsto para a realização dos desfiles das escolas de samba e blocos carnavalescos em todo o Estado ficou estabelecido para acontecer nos meses de maio, junho ou julho, dependendo do andamento da vacinação em massa, que já começou em e das medidas restritivas impostas pela Organização Mundial de Saúde.

Devido ao fato de o carnaval ser uma festa que movimenta a economia do Estado e de que muitas pessoas dependem financeiramente da realização das festividades, o carnaval somente deixará de ser realizado em último caso, se as condições de saúde da população devido à pandemia não melhorarem e os decretos municipais não forem flexibilizados.

Em meio a pandemia e carnaval indefinido, empresário anuncia bloquinho já para fevereiro
Mais notícias