Em 15 dias de fevereiro, cerca de 160 focos de calor já foram registrados em MS, aponta IHP

Brigadistas iniciaram construção de aceiros para isolar partes do Pantanal contra queimada

Nos primeiros 15 dias do mês de fevereiro, o IHP (Instituto do Homem Pantaneiro) já registrou 301 focos de calor em áreas de grande vegetação, sendo 140 em Mato Grosso e 161 em .

Corumbá continua concentrando o maior número de registros do monitoramento, ao todo são 60 focos na região de 1 a 15 deste mês. Outros municípios como Aquidauana, Ladário, Porto Murtinho e Rio Verde de Mato Grosso também tiveram casos notificados.

Conforme o instituto, o monitoramento segue em alerta e atento a possibilidade de incêndios no . Nesta sexta-feira (19), brigadistas iniciaram a construção de aceiros para minimizar o avanço das chamas em regiões.

Em 15 dias de fevereiro, cerca de 160 focos de calor já foram registrados em MS, aponta IHP
(Foto: Divulgação/IHP)

“Segundo a metodologia do Manejo Integrado do Fogo, se as chamas são contidas ou isoladas desde o início, diminuem-se drasticamente as chances de um incêndio florestal fora de controle. Hoje, nossos brigadistas avançaram 2,5 km no aceiro da trilha que vai de Santa Rosa até Novos ”, informou.

O objetivo de fazer os aceiros é isolar partes da floresta para prevenção da passagem do fogo nos setores que ainda não foram atingidos, além de possibilitar a fuga de animais nos casos de incêndios. Os trabalhos devem continuar no sábado (20).

Em 2020, o bioma pantaneiro do Estado sofreu um dos piores incêndios da história, com 22.116 focos de incêndio registrados, 120% a mais de focos comparado a 2019. A onda de incêndios provocou um verdadeiro desastre ambiental no Bioma, do início do ano até o domingo (13) de setembro, estima-se que o fogo tenha destruído 2,9 milhões de hectares do , sendo 1,1 milhão somente em MS, aponta o (Instituto Brasileiro do e dos Recursos Naturais Renováveis).

Em 15 dias de fevereiro, cerca de 160 focos de calor já foram registrados em MS, aponta IHP
Mais notícias