Cotidiano

Com só 10 leitos em ampliação, Saúde de MS atualiza mapa hospitalar da covid-19

Tabela também confirma a abertura de 46 novas vagas, das quais 31 em UTI

Jones Mário Publicado em 06/04/2021, às 19h05

Leito em hospital de Mato Grosso do Sul
Leito em hospital de Mato Grosso do Sul - Saul Schramm/Governo de MS

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) atualizou o mapa hospitalar de leitos para pacientes da covid-19 em Mato Grosso do Sul. A tabela confirma a abertura de 46 novas camas, das quais 31 em UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Conforme atualização do mapa, publicado em edição extra do DOE (Diário Oficial do Estado) de hoje (6), os hospitais sul-mato-grossenses agora somam 735 leitos clínicos exclusivos para pessoas com covid-19. Até o fim de março eram 715.

A Santa Casa de Misericórdia de Paranaíba abriu 20 novas vagas para pacientes com sintomas moderados da doença. O Hospital Rachid Saldanha Derzi, de Sonora, ganhou nove novos leitos.

Em compensação, o Hospital Regional de Cirurgias da Grande Dourados, que fica em Dourados, perdeu 17 leitos clínicos.

Já o número de leitos de UTI para pacientes da covid-19 chegou a 408. Eram 377 até a nova atualização. 

O Humap (Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian), em Campo Grande, abriu 18 vagas para pessoas com sintomas graves da infecção. Em Aparecida do Taboado, a Fundação Hospitalar Enfermeiro Pedro Francisco Soares teve o acréscimo de cinco novos leitos de UTI.

O total de leitos pediátricos continua o mesmo - 146 clínicos e nove de UTI. O número de camas que contam com respiradores, mas que não têm todo o aparato de uma UTI também segue inalterado - são 31.

Além disso, o mapa confirma apenas dez leitos de UTI em processo de ampliação. Todos eles no Hospital Universitário da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), em Dourados.

O mapa atualizado completo, com designação de leitos por município e hospital, pode ser conferido aqui.

Durante toda a tarde de hoje, Mato Grosso do Sul manteve 102% de ocupação nas UTIs. No final do dia, a taxa caiu discretamente para 100,88%. Nos leitos clínicos, a ocupação é de 66,25%.

Jornal Midiamax