Cotidiano

Com possibilidade de retorno híbrido, UFMS inclui fluxo de testagem no plano de biossegurança

A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) incluiu no plano de biossegurança, construído pelo COE (Comitê Operativo de Emergência) e (Comissão Interna de Biossegurança), novas medidas de prevenção contra a Covid-19. Com a possibilidade de retorno das aulas na modalidade híbrida, o fluxo de testagem da doença foi inserido nos protocolos. O ano […]

Karina Campos Publicado em 26/02/2021, às 17h04

(Foto: Fala povo, Midiamax)
(Foto: Fala povo, Midiamax) - (Foto: Fala povo, Midiamax)

A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) incluiu no plano de biossegurança, construído pelo COE (Comitê Operativo de Emergência) e (Comissão Interna de Biossegurança), novas medidas de prevenção contra a Covid-19. Com a possibilidade de retorno das aulas na modalidade híbrida, o fluxo de testagem da doença foi inserido nos protocolos.

O ano letivo deve iniciar no dia 15 de março, com vigor das diretrizes já no dia 1º . Segundo a vice-reitora Camila Ítavo, presidente do COE, explica que as medidas estão em consonância das orientações vindas das autoridades federais e estaduais, especialistas na área de saúde contemplamos as especificidades da universidade.

O plano mantém normas coletivas e individuais como uso obrigatório de máscaras e EPIs, e medidas de higiene, como disponibilização de álcool 70% ou álcool glicerinado em todos os setores, e mantém a classificação dos cenários adotada na segunda versão, feita com base nos dados divulgados pelo Governo Estadual dentro do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia).

“Na versão anterior, incluímos o manejo frente aos casos suspeitos ou confirmados de Covid-19. Agora, o documento contém um Anexo que trata do fluxo de testagem de Covid-19 na UFMS”, disse o presidente da CIBio, professora Gecele Matos Paggi.

Servidores e alunos podem solicitar exames pelo site Se cuide, te amo, onde os pedidos são analisados pela triagem. Os aprovados tem o teste agendado e deve comparecer no Laboratório de Doenças Infecciosas e Parasitárias, na Faculdade de Medicina, localizada na Cidade Universitária. Depois de processado o resultado, o laboratório envia o mesmo à Central de Triagem, que informa o solicitante.

Segundo a presidente da CIBio, as atividades de projetos de ensino, pesquisa, extensão, empreendedorismo e inovação também serão permitidas, respeitando as taxas de ocupação e demais medidas previstas no Plano de Biossegurança.

“Outra alteração está relacionada ao ensino híbrido. Ou seja, as aulas teóricas serão mantidas 100% online e as aulas práticas imprescindíveis podem ser realizadas presencialmente, com rodízio programado de estudantes e respeitando as porcentagens de ocupação de 30, 50 ou 70 %, de acordo com a classificação das etapas”, finaliza.

Confira o plano de biossegurança da universidade clicando aqui.

Jornal Midiamax