Cotidiano

Com oxigênio no limite, HRMS fala em 'dificuldade' para receber pacientes para intubação

Na semana passada, hospital atingiu capacidade máxima de pacientes com ventilação mecânica

Gabriel Maymone Publicado em 06/04/2021, às 12h08

HRMS atingiu limite de uso da rede de oxigênio
HRMS atingiu limite de uso da rede de oxigênio - Diego Vara

Com sucessivos recordes no número de pacientes internados com covid em Mato Grosso do Sul, o HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) limitou a entrada de pacientes graves com a doença que necessitam de intubação. "Nós estamos com muita dificuldade de receber pacientes em ventilação mecânica", disse a diretora-presidente do hospital, Rosana Leite de Melo.

A diretora do hospital, que é referência no tratamento de pacientes com covid pelo SUS em MS, informou que há três semanas adotou medida para otimizar a internação de novos pacientes. "Estamos recebendo pacientes com cateter e mascaras, a média de internação desses casos caiu para cinco dias, ou seja, os pacientes estão saindo bem".

Assim, para casos mais graves, quando é necessário o procedimento de ventilação mecânica, o HRMS  tem o limite para 140 pacientes. "Se passar disso, começa a prejudicar nossa rede".

Quando a situação saiu de controle, para 'dar conta' de atender a demanda, o HRMS abriu 20 'pontos de cuidados', que somados aos 120 leitos UTI (Unidade de Terapia Intensiva) disponíveis resultam nos 140 pontos de uso da rede de oxigênio. 

Triagem de pacientes

Com a rede de oxigênio comprometida, o HRMS chegou a suspender a internação de novos pacientes por 12h. Apos esse período, o comitê de risco para covid do hospital decidiu formar uma comissão com representantes da unidade e da regulação de Campo Grande e do Estado para fazer uma triagem de novos pacientes, que avalia caso por caso para autorizar a internação na unidade.

Jornal Midiamax