Cotidiano

Com decretos e ‘fecha tudo’, MS registra queda de 38% em registros de roubos

A Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), divulgou neste domingo (28), um balanço comparativo de crimes em Mato Grosso do Sul. Entre janeiro e fevereiro de 2021, o Estado registrou queda de 38% em casos de roubo, comparado ao mesmo período do ano passado. De acordo com o levantamento, em Campo Grande […]

Karina Campos Publicado em 28/03/2021, às 08h03 - Atualizado às 13h12

(Foto: Divulgação GOV MS)
(Foto: Divulgação GOV MS) - (Foto: Divulgação GOV MS)

A Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), divulgou neste domingo (28), um balanço comparativo de crimes em Mato Grosso do Sul. Entre janeiro e fevereiro de 2021, o Estado registrou queda de 38% em casos de roubo, comparado ao mesmo período do ano passado.

De acordo com o levantamento, em Campo Grande a queda nesses crimes chegou a 34,5%. Já os roubos em comércio, também tiveram redução de 47,5%. No interior, a redução de crimes do tipo no comércio é de 37% menor entre os dois primeiros meses de 2021, em comparação com o ano passado. Nas vias urbanas a quantidade de roubos representou uma queda de 35,5%.

“Além de aumentar o diálogo entre as forças, passamos a atuar em regiões críticas, apontadas pela inteligência, que mostram os bairros e ruas mais atingidos por esse tipo de crime. Especializamos uma equipe em furtos de alta monta e outra em comércio sensível, como farmácias. Aumentamos também o efetivo policial, proporcionamos treinamento e criamos o NIP (Núcleo de Inteligência Policial)”, disse o titular da DERF (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos), Reginaldo Salomão

Outro dado apontado no índice é da redução nos crimes de furtos de veículos (22,7%), homicídio doloso (18,1%) e homicídio culposo no trânsito (24,4%).

Na faixa de fronteira, que compreende as cidades na divisa dos países como o Paraguai e Bolívia, os crimes de homicídio doloso tiveram redução e o policiamento ostensivo foi o responsável pela queda de 19,5% nos casos.

Jornal Midiamax