Cotidiano

Colapso: MS tem 246 mortes em menos de uma semana e 161 à espera de leito em hospital

Mato Grosso do Sul chegou ao momento mais crítico da pandemia, com recorde de mortes por coronavírus. Além de registrar o recorde de mortes em 24 horas, o Estado atingiu o pico de óbitos notificados em uma semana. Os dados apresentados pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) consideram a semana epidemiológica, que começou no […]

Mylena Rocha Publicado em 26/03/2021, às 11h40

(Foto Ilustrativa: Henrique Arakaki/Midiamax)
(Foto Ilustrativa: Henrique Arakaki/Midiamax) - (Foto Ilustrativa: Henrique Arakaki/Midiamax)

Mato Grosso do Sul chegou ao momento mais crítico da pandemia, com recorde de mortes por coronavírus. Além de registrar o recorde de mortes em 24 horas, o Estado atingiu o pico de óbitos notificados em uma semana. Os dados apresentados pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) consideram a semana epidemiológica, que começou no domingo (21). Com apenas seis dias, MS teve 246 óbitos por coronavírus – número maior do que todas as semanas epidemiológicas registradas até agora.

A secretária adjunta Crhistinne Maymone comentou durante a live nesta sexta-feira (26) que a semana epidemiológica ainda nem acabou, mas já registrou o recorde de mortes em comparação com as semanas anteriores. Foram 246 óbitos, ou seja, uma média de 41 mortes por dia no Estado. 

O último recorde semanal de óbitos foi registrado na semana anterior, mostrando como a pandemia tem evoluído rapidamente em Mato Grosso do Sul. Na semana passada, foram computados 215 óbitos por Covid-19. Até então, o pico havia sido registrado na semana do Natal de 2020, com 174 mortes.

Colapso na saúde

Mesmo com as restrições impostas pelo toque de recolher em Mato Grosso do Sul, a movimentação tem sido intensa e o coronavírus se espalha cada vez mais. O Estado já vive um colapso na saúde, com mais de mil pacientes internados. 

Como faltam vagas em leitos clínicos e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em MS, há fila de pacientes à espera de um leito em várias cidades.  A fila conta com 161 pacientes aguardando uma vaga em leitos: 110 pacientes na macrorregião de Campo Grande, 24 em Dourados e 27 na Central de Regulação do Estado.

Conforme dados da Central de Regulação de Campo Grande, há 92 pacientes na fila na Capital, um em Aquidauana, um em Corguinho, dois em Dois Irmãos do Buriti, um em Jardim, dois em Maracaju, dois em Miranda, dois em Rio Verde de MT, quatro em São Gabriel do Oeste, um em Sidrolândia, um em Terenos e um em Três Lagoas. 

Na região de Dourados, há 10 na fila na cidade de Dourados, um em Caarapó, um em Deodápolis, dois em Itaporã, um em Itaquiraí, três em Mundo Novo, quatro em Naviraí, um em Ponta Porã e um em Rio Brilhante. 

Na central de Regulação do Estado, há um na fila em Aquidauana, um em Bataguassu, um em Bela Vista, três em Bonito, um em Caarapó, quatro em Chapadão do Sul, um em Coronel Sapucaia, um em Eldorado, dois em Paranaíba, um em Pedro Gomes, dois em Santa Rita do Pardo, um em Tacuru e oito em Três Lagoas.

Jornal Midiamax