Cotidiano

Campo Grande tem 57 casos suspeitos para nova variante do coronavírus

Depois da confirmação de três casos da nova variante do coronavírus em Mato Grosso do Sul, há 57 casos suspeitos para a nova cepa do vírus em Campo Grande. O titular da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), José Mauro Filho, diz que os  pacientes teriam se contaminado no Estado, em cidades como Corumbá por exemplo, […]

Mylena Rocha Publicado em 18/02/2021, às 10h11 - Atualizado às 15h45

Mato Grosso do Sul bateu recorde de número de mortes por Covid-19. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)
Mato Grosso do Sul bateu recorde de número de mortes por Covid-19. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax) - Mato Grosso do Sul bateu recorde de número de mortes por Covid-19. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

Depois da confirmação de três casos da nova variante do coronavírus em Mato Grosso do Sul, há 57 casos suspeitos para a nova cepa do vírus em Campo Grande. O titular da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), José Mauro Filho, diz que os  pacientes teriam se contaminado no Estado, em cidades como Corumbá por exemplo, mas acabaram vindo para a Capital. 

Campo Grande tem 57 casos suspeitos para nova variante do coronavírus
Secretário comenta que casos são investigados por terem perfil da nova variante. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

O secretário de saúde explica que os casos levantaram suspeita por conta das características da doença nos pacientes. “Pela agressividade, pelo aumento da letalidade, por ter pego mais jovens, tudo isso é um perfil da variante, então tudo isso tem que ser investigado”, diz. 

Apesar dos 57 casos suspeitos na Capital, o Estado tem três amostras em análise para investigação sobre a nova cepa do coronavírus. De três, um dos casos é de Campo Grande, segundo a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde). As amostras foram encaminhadas ao Instituto Adolfo Lutz em São Paulo, conforme informou a SES (Secretaria de Estado de Saúde).

José Mauro Filho ainda comentou sobre o calendário da vacinação contra o coronavírus, que tem deixado dúvidas na população. Ele conta que como não há data correta nem a quantidade de vacinas a serem encaminhadas para Campo Grande, fica difícil montar um cronograma para imunização.

“Temos tido essas informações de um dia para o outro. Isso prejudica a estratégia de lançar um calendário com antecedência, muitas vezes a população se sente mal informada ou até perdida”, afirma.

Campo Grande continua a vacinação contra o coronavírus, mas como ainda não chegou um novo lote, estão sendo aplicadas somente a segunda dose nos pacientes já imunizados com a primeira. A depender da quantidade de vacinas encaminhadas na próxima semana, Campo Grande pode iniciar a vacinação de idosos de até 75 anos.

(matéria atualizada com informações da Sesau às 11h51)

Jornal Midiamax