Cotidiano

Boletim de Covid-19 em indígenas de MS não é atualizado há mais de 15 dias

Há 18 dias o boletim epidemiológico da Covid-19 do Dsei (Distrito Sanitário de Especial Indígena) de Mato Grosso do Sul não é atualizado.

Dândara Genelhú Publicado em 09/03/2021, às 16h14 - Atualizado às 16h15

(Foto: Marcos Morandi)
(Foto: Marcos Morandi) - (Foto: Marcos Morandi)

Há 18 dias o boletim epidemiológico da Covid-19 do Dsei (Distrito Sanitário de Especial Indígena) de Mato Grosso do Sul não é atualizado. O estado é o terceiro do Brasil com maior número de mortes de indígenas causadas por coronavírus. São 107 vitimas fatais desde o início da pandemia.

Os dados dos óbitos foram divulgados pela Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil). O levantamento leva em consideração as informações da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) e do Comitê Nacional de Vida e Memória Indígena.

Assim, os boletins do Dsei de MS são divulgados no Portal do Coronavírus, implementado pelo Governo Estadual. Porém, entre a lista de publicações, a última registrada é de 19 de fevereiro.

Apesar da quantidade total de casos do distrito ser divulgada pela Sesai, o detalhamento do cenário da pandemia do coronavírus nas aldeias é relatado apenas no boletim da Dsei. Nele é possível verificar os municípios com mais casos, óbitos e até quantidade de internações de indígenas.

De acordo com a última atualização da Sesai, publicada em 8 de março, são 4.243 casos confirmados em todas as aldeias de MS. O Estado concentra o maior número de infectados do país.

Jornal Midiamax