Cotidiano

Após fechamento de autoescola, alunos reclamam de falta de auxílio para tirar CNH

Grupo de alunos da autoescola Excelência, localizada na Rua 13 de maio, em Campo Grande, se reuniu na tarde desta segunda-feira (1º) na frente da recém fechada empresa para cobrar respostas, alegando prejuízos e atrasos nos processos de formação de condutores. A auxiliar de escritório, Thamires Fagundes, de 19 anos, que começou o processo em […]

Fábio Oruê Publicado em 01/03/2021, às 16h57 - Atualizado às 17h05

Alunos ficaram na frente da autoescola. (Foto: Leitor Midiamax)
Alunos ficaram na frente da autoescola. (Foto: Leitor Midiamax) - Alunos ficaram na frente da autoescola. (Foto: Leitor Midiamax)

Grupo de alunos da autoescola Excelência, localizada na Rua 13 de maio, em Campo Grande, se reuniu na tarde desta segunda-feira (1º) na frente da recém fechada empresa para cobrar respostas, alegando prejuízos e atrasos nos processos de formação de condutores.

A auxiliar de escritório, Thamires Fagundes, de 19 anos, que começou o processo em outubro do ano passado, iria pagar para fazer uma prova para se encaminhada ao Detran-MS (Departamento de Trânsito de Mato Grosso do Sul), mas com o fechamento, ficou sem saber como proceder.

“Nós alunos ficamos sem caminhos nenhum. Eles não querem nos encaminhar para outro autoescola e nem fazer nosso reembolso”, disse ela, que investiu cerca de R$ 1 mil na empresa.

Além de Thamires, cerca de outros 15 alunos foram até a porta da autoescola cobrar por repostas. Entre eles o estudante Lucas Sanches, de 21 anos, que deu início ao processo para formação de condutores em setembro. “[…] transferi agora para outra divido a enrolação deles. Sempre [vem] a conversa de que o Detran não está disponível; que tinha pre-agendamento. Foi quase dois meses para fazer o [exame] psicológico e exame médico”, contou ele, que teve o processo cobrado no valor de R$ 1.850,00.

Conforme Thamires, mesmo com a cobrança, os alunos não obtiveram nenhum resultado. “Ligamos novamente em todos os números e está desligado. Não temos nenhuma posição de nada. Isso é revoltando”, disse.

O Jornal Midiamax tentou contato com a empresa nos telefones disponíveis, mas nenhuma das ligações foram atendidas.

Alvo de reclamações

O CFC (Centro de Formação de Condutores) foi proibido de contratar novos alunos, após receber uma segunda notificação do Procon/MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato Grosso do Sul) na sexta-feira (19).

De acordo com o órgão, o local já havia sido autuado 15 dias antes e foi novamente notificado na sexta, após o órgão estadual receber diversas denúncias de clientes.

Na nova visita, foi constatado que o CFC não praticava a comunicação essencial, demorava na prestação de serviços previamente pagos e acordados, tinha vantagem manifestamente excessiva, praticava precificação imprecisa e publicidade enganosa.

Fechamento

A autoescola então encerrou as atividades na semana passada depois de sofrer bloqueio administrativo do Detran-MS. A empresa possui cerca de 1,3 mil alunos. Na sexta-feira (26), após a notificação do Detran, a autoescola emitiu comunicado aos clientes. “Nossa equipe administrativa estará dando o suporte necessário a todos os clientes para garantir a completa prestação dos serviços contratados, a fim de que ninguém seja prejudicado”, diz a nota.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax