Volta às aulas: Materiais do ano passado são ‘chave’ para descontos de até 50%

Lojistas afirmam que as mudanças nos produtos das coleções atuais são poucas

Em busca de descontos e por falta de tempo, pais movimentam as papelarias e lojas de variedades do centro de Campo Grande em busca de materiais escolares. Segundo os lojistas da região, comprar produtos de coleções do ano anterior pode gerar desconto de até 50%.

Com movimento 5% maior que no ano anterior na loja, o empresário Paulo Roberto, 60, explica que é possível economizar com produtos do ano anterior. “Para acabar com estoque a gente abaixa os preços e são produtos de personagens, que todo ano lançam novos mas com poucas diferenças das coleções anteriores, ficam com mais de 50% de desconto”, comenta.

Na loja em que Paulo trabalha, a Shoptudo, é possível encontrar cadernos de personagens clássicos da Disney, de dez matérias com 200 folhas, por R$ 12,90. Cadernos com os mesmos personagens, mas da coleção 2020, variam entre R$ 23 a R$ 30.

Produtos dos anos anteriores podem ajudar na economia.
Foto: Marcos Ermínio.

Também com produtos do ano anterior, Paulo Henrique, 34, encarregado da loja de variedades Planeta Real, afirma que é possível encontrar produtos para agradar as crianças e garantir bons descontos. “Produtos do ano passado ficam sempre com até 50% de desconto, como por exemplo uma mochila infantil de unicórnio, que está por R$ 22 e antes era R$ 47”, conta.

Entretanto Paulo revela que muitos desses produtos não ficam à vista dos clientes. “Tem sempre que perguntar para os vendedores, que daí sim levam até os produtos de outras coleções com descontos”.

Na expectativa de economizar nos itens escolares dos dois filhos, Karen Letícia, 23, admite que não procura produtos de coleções passadas. “Nunca tinha pensado nisso, mas fica difícil mesmo, porque ninguém fica sabendo desses descontos”, conta surpresa com a possibilidade.

Assim como outros pais, a empresária Viviane Rodrigues, 37, diz que o maior segredo para economizar é conversar e negociar com o filho. Mas ela aproveita os últimos dias de férias para comprar os materiais escolares “na esperança dos preços diminuírem pelo menos um pouquinho”. Mesmo sem focar em produtos do ano anterior, a empresária afirma que o desapego com as marcas ajuda na economia.

 

Mais notícias