UFMS usa laboratório acadêmico para auxiliar pesquisa do coronavírus em MS

No Brasil, das 110 instituições federais de ensino no país, três seguem funcionando normais ou parciais

No enfrentamento contra o Covid-19, o novo coronavírus, muitas universidades estão com as aulas suspensas no país e em Campo Grande, não é diferente. No Brasil, das 110 instituições federais de ensino no país, contando Universidades e Institutos Federais, apenas três permanecem com atividades normais ou parciais, sendo a UFMS e os institutos do Sul de Minas e de Tocantins.

Em todo o país, cerca de 2 milhões de estudantes das instituições federais estão sem aulas. Contando com professores e técnicos, o total é de 2,29 milhões de pessoas com atividades suspensas.

O MEC publicou nesta quinta-feira (26) no portal, clicando aqui, um painel para monitorar e acompanhar o impacto do coronavírus nas Universidades e nos Institutos Federais do Brasil. Das 69 Universidades Federais do Brasil, 68 estão com atividades suspensas, e no Brasil somente os alunos da UFMS estão tendo aulas, tendo sido substituídas as aulas presenciais por Estudos Dirigidos a distância, usando-se o ambiente virtual e outras ferramentas de tecnologia de informação e comunicação para que suas atividades acadêmicas não sejam interrompidas. Os servidores estão mantendo atividade na modalidade teletrabalho, realizando suas atividades normalmente, ressalvados os serviços essenciais.

No Estado de Mato Grosso do Sul, as instituições UFMS, UEMS, UCDB e Uniderp substituíram as atividades de ensino presenciais por atividades remotas. Já a UFGD e o IFMS paralisaram suas atividades de ensino fechando suas portas.

A UFMS tem respeitado o isolamento social determinado pelo Ministério da Educação, mas vem colaborando com o enfrentamento do Covid-19, juntamente com o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian em Campo Grande que está se organizando junto com os estudantes de medicina e os médicos da Faculdade de Medicina e outros professores da área de saúde no acolhimento das pessoas com Covid-19.

Assim, a UFMS segue todas as recomendações do Cômite Operativo de Emergência (COE), mantém o funcionamento e tem contribuído para o enfrentamento da Covid-19. Pesquisadores, técnicos e estudantes de Campo Grande, Três Lagoas, Corumbá, Paranaíba, Nova Andradina, Coxim, Naviraí, Chapadão do Sul, Aquidauana e Ponta Porã têm trabalhado em vários projetos com a comunidade, prefeitura e governo do estado colocando laboratórios e pesquisas a disposição.

Por exemplo, em Campo Grande, na UFMS vem sendo produzido álcool etílico 77% e álcool etílico glicerinado 80% para abastecer o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian e outras instituições públicas do estado, e está mobilizando diversas instituições, públicas ou privadas, na doação de insumos e voluntários. Também está sendo produzido suportes de máscaras para auxiliar nos equipamentos de proteção, está mobilizando laboratórios para diagnóstico do coronavirus.

A UFMS também está construindo um Banco de Voluntários e Projetos para o enfrentamento do Covid-19. Um cadastro de professores, técnicos administrativos, estudantes de graduação ou de pós-graduação, egressos, residentes e colaboradores terceirizados interessados em atuar como voluntários no enfrentamento dos desafios vividos pela sociedade sul-mato-grossense em função da pandemia Covid-19. A criação de uma plataforma de projetos, ideias e ações de pesquisa, extensão e inovação tecnológica de baixo custo e alto impacto está sendo criada para o combate à pandemia.

A UFMS oferece também toda sua infraestrutura, laboratórios e equipamentos na Cidade Universitária, em Campo Grande, para as autoridades de saúde do Governo do Estado e de Campo Grande:

  1. Morenão, maior estádio universitário da América Latina, para montagem de tendas de unidades de apoio à triagem, ao acolhimento, ao acompanhamento e, se necessário, ao tratamento de pacientes do Estado de Mato Grosso do Sul; alojamentos ou residências provisórias para profissionais de saúde; ou outras demandas necessárias;
  2. Alojamento reservado para 30 homens e 30 mulheres na Cidade Universitária em Campo Grande, em especial, neste momento já liberamos para toda equipe da saúde do Humap/Ebserh;
  3. Hospital Veterinário como local para adaptação para internações e de atenção à saúde;
  4. Laboratórios de tecnologia da área de farmácia para a produção de álcool gel e/ou glicerinado;
  5. Laboratórios compatíveis na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia e na Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Alimentos e Nutrição para testagem de casos da Covid-19; e
  6. ​Cozinha-escola na Cidade Universitária em Campo Grande para preparo e/ou fornecimento de refeições para profissionais de saúde.
    Interessante ter depoimento de algum secretario de município de campo grande ou de estado na área de saúde ou educação para mostrar a importância da UFMS neste momento difícil de guerra do Mato Grosso do Sul e do Brasil.
    Mais informações poderão ser encontradas no portal da UFMS, clicando aqui, com as portarias e as informações sendo realizadas no combate ao Covid-19.
UFMS usa laboratório acadêmico para auxiliar pesquisa do coronavírus em MS
Mais notícias