Túneis de desinfecção serão retirados dos terminais de ônibus e transferidos para hospitais

Sesau ainda fará estudo sobre a eficiência do equipamento

Depois de anunciar a instalação de túneis de desinfecção para passageiros, os equipamentos não devem funcionar nos de Campo Grande. Os túneis já haviam sido instalados em cinco terminais, como o Guaicurus, Morenão, Bandeirantes, Júlio de Castilho e General Osório. 

Os equipamentos chegaram a funcionar em alguns locais na sexta (16) e no sábado (16). A Prefeitura explica que encomendou estudos para a (Secretaria Municipal de Saúde) e para a Vigilância Sanitária para ampliar as opiniões sobre a eficiência da câmara de desinfecção. O estudo deve ser finalizado nesta semana.

Os túneis de desinfecção utilizam ozônio, um método ainda controverso. “O túnel pulveriza o produto em várias direções, de certo modo borrifa [no passageiro]”, explicou o secretário Antônio Lacerda em entrevista ao Midiamax no domingo (17).

Porém, há poucos dias, a (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) emitiu uma nota alertando sobre os equipamentos. Segundo a , faltam evidências científicas de que o uso de estruturas como câmaras, cabines e túneis para desinfecção de pessoas tenha eficácia, enquanto medida preventiva contra o novo coronavírus.

Após o alerta da , a Prefeitura deve transferir os túneis dos terminais para hospitais, “onde os profissionais da Saúde estão com vestimentas apropriadas que protegem a pele”. A Prefeitura ressalta que o produto da forma como estava sendo pulverizado não causa nenhum dano às pessoas.

“Importante ressaltar que os equipamentos foram doados por empresas parceiras, assim, a desativação dos túneis não causa prejuízos à prefeitura”.

Túneis de desinfecção serão retirados dos terminais de ônibus e transferidos para hospitais
Mais notícias