Três mortos: cerca de 8 horas e 80 mil litros de água controlaram chamas em carretas

Motoristas de carretas morreram carbonizados em acidente na MS-306

O levou cerca de 8 horas e 80 mil litros de água para controlar as chamas em três carretas envolvidas em acidente de trânsito na , que deixou três mortos nesta quinta-feira (09). O acidente ocorreu em Chapadão do Sul, a 407 quilômetros de Campo Grande. As vítimas ainda não foram identificadas oficialmente.

Duas carretas e um bitrem se envolveram no acidente por volta das 8 horas. Os veículos pegaram fogo e os motoristas morreram carbonizados. Foram horas de trabalho para a contenção das chamas, retirada dos corpos e controle do trânsito, que ficou com congestionamento quilométrico.

Muitos motoristas optaram por desvios em estradas rurais que margeiam a rodovia, mas o congestionamento chegou a mais de 10 quilômetros em ambos os trechos.

De acordo com o Jovem Sul News, uma pá carregadeira da Catléia foi utilizada para retirar destroços do cavalo mecânico que ficou na pista, mas a carreta, com 27 toneladas de carne bovina dependia da chegada de um guincho, que vinha de Aparecida do Taboado, a mais de 200 km do local, para retirá-la da pista, atrelada ao que restou do chassi do cavalo mecânico.

O comandante do 7º subgrupamento do de Chapadão do Sul, 1º tenente Tracz, informou que foram consumidos aproximadamente 80 mil litros de água para controlar o fogo, principalmente nas cargas de ração para cães e papelão. Caminhões pipas auxiliaram no abastecimento de água no local. O tenente agradeceu ao empenho das equipes dos bombeiros, policiais, que contribuíram no local.

Peritos da Polícia Técnica estiveram no local, realizaram a diligência a autorizaram a retirada dos corpos.

Possível vítima

Bruno Alves, 32 anos, era colega de uma das vítimas. Ele informou que a vítima de uma das carretas se chama Ronaldo, casado e morador de Itajaí (SC). O patrão já havia informado a família da morte.

“Por muito pouco não me envolvi no acidente também, eu estava aproximadamente dois quilômetros atrás e quando avistei o acidente precisei acionar todos os freios e por muita sorte não bati a carreta que eu dirigia. Quando consegui parar precisei ainda dar marcha ré na pista para proteger a carreta. Desci e já não dava para me aproximar do local devido ao intenso fogo que já tomava conta dos três veículos envolvidos”, disse Bruno.

 

Três mortos: cerca de 8 horas e 80 mil litros de água controlaram chamas em carretas
Mais notícias