Toque de recolher: donos de bares e restaurantes pedem que mudança aconteça só na 2ª

Prefeito Marquinhos Trad adiantou que vai decretar toque de recolher a partir de 20h nesta quarta-feira (8); empresários pedem validade da medida a partir de segunda-feira (13).

Após o anúncio do prefeito Marquinhos Trad (PSD) na decisão de decretar redução no horário de início do toque de recolher, em Campo Grande, a partir desta quarta-feira (8), donos de bares e pedem prorrogação da medida para segunda-feira (13).

Segundo o presidente da Abrasel MS (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de ), Juliano Wertheimer, os empresários foram pegos de surpresa. Durante a reunião na tarde de hoje (7), os associados concordaram com as novas regras, porém, reclamaram do prazo para se reorganizar.

“O problema é o estoque que os empresários têm, principalmente, das casas que trabalham com carne e . Os produtos são de autovalor, perecíveis e que não podem ser mais congelados. Terão grande perda de estoque. A gente concordou com a redução de 40% (capacidade máxima de clientes), e outros termos, mas pedimos que até domingo o horário seja até às 23h”, disse.

Ainda conforme Wertheimer, os empresários reclamam apenas do início imediato do decreto. “O toque de recolher limita o horário de funcionamento, o problema é que e bares noturnos não conseguem vender nada antes das 20h. Entramos com diálogo com a prefeitura e aguardamos uma nova posição.”

Aumento de casos

Durante a desta terça-feira, Marquinhos anunciou que a medida será decretada pelo aumento considerável de casos de coronavírus no município e, consequentemente, aumento na ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Academias, , comércios em geral, terão limite de lotação máxima de 40%.

Toque de recolher: donos de bares e restaurantes pedem que mudança aconteça só na 2ª
Mais notícias