‘Todo mundo vai pegar’, dizem vereadores de Campo Grande sobre coronavírus

Os vereadores ainda acreditam que um pico da doença pode gerar mortes no Brasil

es de Campo Grande acreditam que a falta de medidas preventivas podem gerar um pico de casos, que resultariam em mortes causadas pelo . “Na verdade a previsão é que todo mundo vai pegar”, afirma o e presidente da Câmara Municipal, (PSDB).

Estudos realizados na Universidade de Brasília, divulgados recentemente, mostram que existe uma curva entre o tempo a partir do primeiro caso e o número de casos. Baseado nestas pesquisas, o presidente explica que “o problema vai estar nesse pico, porque o sistema de saúde não vai conseguir atender todo mundo ao mesmo tempo”.

acredita que é humanamente impossível atender todos os enfermos. “Se todas as pessoas ficarem doentes ao mesmo tempo, aí vai acontecer mesmo de gente morrer”, lamenta.

Para o , a solução é “tentar baixar essa curva que vai lá em cima, pra que seja mais linear e todo mundo consiga ser atendido”. lembra que outros países já enfrentam esse pico de casos do COVID-19 e que é preciso aprender com os erros deles. “A gente tem que se beneficiar com isso e não deixar que chegue naquela situação”, lembra o presidente da Câmara.

Idosos como prioridade

“O mais importante mesmo é a gente reservar os idosos, eles são muito prioritários, tem que ter muito cuidado”, ressalta . O , (PP) também acredita que um grande número de casos aliados com a falta de leitos e aparelhos pode gerar mortes, principalmente no grupo de idosos.

“E aí, como faz se um grupo grande de idosos, que tem dificuldade maior pra respirar e precisa de aparelhos? Aí vai dar óbito”, questiona Valdir. O também acredita que o Brasil deva aproveitar o exemplo de outros países. “Para gente não chegar em uma situação que os outros chegaram”, justifica.

'Todo mundo vai pegar', dizem vereadores de Campo Grande sobre coronavírus
Mais notícias