Sesau autoriza remanejamento e afastamento de servidores em grupo de risco

Vale para trabalhadores da linha de frente no atendimento da pandemia

Resolução da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), publicada nesta quarta-feira (25), autoriza afastamento de servidores considerados do grupo de risco, do atendimento da pandemia nas unidades de saúde de Campo Grande. Vale para quem está à frente da ‘urgência, emergência e similares’. Confira a íntegra do documento clicando aqui e acessando a página 4.

“Para evitar exposição direta e riscos de contaminação e agravamento de sua condição de saúde, de servidores municipais efetivos, comissionados ou contratados temporariamente”.

A medida vale para quem tem doenças cardíacas crônicas; doença cardíaca congênita; doença cardíaca isquêmica e insuficiência cardíaca. Também para doença respiratória crônica (asma em uso de corticoide inalatório ou sistêmico); doença pulmonar obstrutiva crônica; fibrose cística; doenças intersticiais do pulmão; displasia broncopulmonar; hipertensão arterial pulmonar.

Ainda, quem tem imunodeficiência congênita ou adquirida; transplantados de órgãos sólidos e medula óssea; maiores de 60 anos; gestantes ou lactantes e os servidores que apresentarem sintomas de coronavírus, sem atestado médico.

Nesta última situação, “o servidor deverá ser encaminhado para avaliação médica” e ficar em quarentena, se for o caso. As condições de saúde que foram citadas precisam ser comprovadas à chefia imediata.

Os trabalhadores poderão cumprir jornada de trabalho de casa, serem realocados para serviços internos ou poderão optar por adiantarem as férias. Mas também há possibilidade de o servidor cumprir a carga horária faltante depois, em plantões eventuais, no caso dos cargos permitidos.

Sesau autoriza remanejamento e afastamento de servidores em grupo de risco
Mais notícias