Sensação de 37°C: Como fugir do calor na cidade que tem ‘um Sol pra cada um’?

Cena inusitada relacionada ao calor aconteceu bem no centro de Campo Grande nesta terça-feira (14)

Por volta do meio dia desta terça-feira (14) os termômetros marcavam os 32°C em Campo Grande. Mas, a sensação térmica no mesmo horário foi estimada por volta dos 36°C – um calor insuportável, a ponto de bater aquele desespero.

E quem não se fez de rogado e partiu pra ação foi um homem não identificado que, em plena Avenida Afonso Pena, aproveitou o sistema de irrigação do canteiro central da via para tomar aquele banho e escapar do calor escaldante na cidade que tem “um sol pra cada um”.

Mas, como não há uma mangueira em cada esquina, e nem todo mundo está disposto a se refrescar de forma tão… explicita, é bom lembrar que há outras maneiras de fazer os sintomas do calor intenso serem amenizados. Tudo passa pela hidratação, o grande segredo para conseguir suportar as altas temperaturas.

Vale lembrar, ainda, que a previsão do tempo até traz chuvas isoladas, mas as temperaturas devem aumentar gradativamente ao longo da semana. Se você não for tão corajoso quanto o rapaz que resolveu se banhar no canteiro central, fique atento às dicas que o Jornal Midiamax separou para você se proteger do sol e encarar o calor.

Como lidar com o calor?

Por mais que a primeira reação de muita gente seja de julgar o rapaz que quebrou o protocolo social e se jogou no jato d´água, é preciso lembrar que as altas temperaturas, como a desta terça-feira, ocasionam grande transformações no corpo. Refrescar-se, portanto, é mais que um desejo, é uma necessidade do corpo. Quem explica o fenômeno é o médico angiologista Julio Peclat, que esclareceu o que ocorre no corpo humano e também o que devemos fazer para evitar os sintomas.

“Nessa época do ano, a pessoa sua muito, perde muito líquido. Por isso, é importante repor esse líquido”. A alimentação também deve ser leve, evitando comidas gordurosas ou pesadas, dando preferência a carnes brancas e saladas. O sal deve ser reduzido porque absorve muito líquido e pode colaborar para o inchaço de membros inferiores e superiores”, destacou ao Jornal Midiamax

Outra dica é evitar corridas e jogos de praia, como vôlei e futevôlei, nos horários mais quentes, entre 10h e 16h (no horário de verão, de 11h às 17h), e usar bloqueador solar, boné, viseiras, óculos e chapéus. “Usar tudo que tem direito para se proteger, porque o inchaço é um dos problemas relacionados ao calor”.

O médico destaca, ainda, que a desidratação pode ter efeitos graves para o paciente que tem doença cardiovascular ou cardiovascular periférica, relacionados à perda do nível de consciência, desmaios e queda de pressão arterial. “Tem que ter cuidados, principalmente nos extremos: crianças e idosos. Porque, nessas fases, os mecanismos responsáveis pela termorregulação não são tão eficientes”.

Confira o resumo do que fazer para amenizar os efeitos das altas temperaturas:

  • Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11 e 15 horas
  • Umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, molhamento de jardins, etc.
  • Sempre que possível, permanecer em locais protegidos do sol, em áreas vegetadas
  • Usar protetor solar
  • E o principal: consumir água à vontade.

Cuidados com o ar-condicionado e a desidratação

 

Foto: Marcos Ermínio, Midiamax

Com os termômetros nas alturas é natural que as pessoas passem mais tempo no ar-condicionado, e pneumologistas alertam para cuidados redobrados. Peclat destaca que o uso do ar-condicionado diminui ainda mais a umidade do ar e, por isso, é sempre importante estar hidratado.

“O ar-condicionado resfria o ambiente ressecando o ar. A orientação é consumir muita água e evitar bebida alcoólica, que as pessoas acreditam hidratar, mas desidrata ainda mais. Outra dica é usar soro fisiológico nas narinas e manter os ambientes umidificados”, completa.

Mais notícias