Sem uso, hospital de campanha do HRMS terá desativação progressiva, diz Saúde

Gasto só com containers foi de R$ 1,2 milhão

Secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende disse nesta quarta-feira (05) que apesar de contar com equipamentos de ponta, o hospital de campanha do (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) será desativado progressivamente para evitar custos ao Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

O local, anexo ao Regional, está sem uso. “Ou porque os pacientes são casos leves demais para serem atendidos pela estrutura, ou porque necessitam de atendimento muito complexo de UTI, internação, para que a gente mantenha aquela unidade lá. Por isso, vamos desativar aos poucos”, anunciou durante a transmissão ao vivo.

O Estado desembolsou mais de R$ 1,2 milhão no aluguel de containers por 90 dias em maio para montar a estrutura, além de tendas, que foram retiradas.

Casos de coronavírus

O total de infectados em chega a 28.315 nesta quarta, com registro de 442 mortes – 10 nas últimas 24 horas. Os novos casos refletem incremento de 2,3% na curva, conforme a SES (Secretaria de Estado de Saúde).

O boletim detalha, ainda, que  já soma 132.446 casos notificados, dos quais 96.991 foram descartados. Há 2.384 amostras em análise no Lacen- (Laboratório Central de ) e 4.756 casos ainda aguardam encerramento pelos municípios – mais de 3 mil são de Campo Grande.

Sem uso, hospital de campanha do HRMS terá desativação progressiva, diz Saúde
Mais notícias