Sem reajuste e com hora extra atrasada, enfermeiros avaliam greve na Santa Casa

Sindicato diz que categoria está com defasagem de 55% do quadro de funcionários

Assembleia marcada para às 12h30 desta terça-feira (27) irá deliberar sobre o indicativo de da . A categoria alega que o hospital propôs e que está sem receber horas extras de dois meses.

A presidente do (Sindicato dos Trabalhadores da Área de Enfermagem do ), Helena Delgado, disse que a paralisação será discutida na assembleia desta terça-feira. “Se aprovada, amanhã sai o edital convocando a assembleia para votar o indicativo de greve e sinalizar a data”, informou.

Conforme a sindicalista, a categoria trabalha com defasagem de 55% do quadro, o que gera prejuízos ao atendimento a pacientes. “Esse quadro foi reposto por trabalhadores que fizeram horas extras. Já são mais de 10 mil horas extras que não foram pagas. Isso resultou na sobrecarga de trabalho”, explicou.

A assessoria de imprensa da Santa Casa comunicou que o hospital não irá se pronunciar antes da assembleia dos profissionais.

Corredores lotados

Na quinta-feira (22), a Santa Casa informou que estava com os corredores lotados de pacientes e que não estava em condições de receber pacientes em estado grave.

O hospital funciona como ‘retaguarda’ na pandemia do coronavírus, ou seja: recebe demais pacientes enquanto o HRMS (Hospital Regional de ) ficou com atendimento exclusivo para os infectados pela doença.

O secretário Geraldo Resende rebateu as informações passadas pela Santa Casa e disse que os dados na SES são diferentes e que não indicam superlotação.

Sem reajuste e com hora extra atrasada, enfermeiros avaliam greve na Santa Casa
Mais notícias