Secretário de MS diz que Ministério da Saúde deve comprar 1ª vacina disponível para coronavírus

“Esperamos que seja evitado qualquer tipo de guerra pelas vacinas”, disse Geraldo Resende

Depois da declaração do presidente de que o Brasil não compraria as vacinas chinesas, o secretário voltou a reafirmar a posição de em relação às vacinas contra o coronavírus. O titular da SES (Secretaria de Estado de Saúde) defendeu que o mantenha a posição informada na terça-feira (20), quando anunciou a compra 46 milhões de doses.

Em live nesta quarta-feira (21), ressaltou que o Ministério deve comprar a primeira vacina disponível para o coronavírus. “O precisa comprar todas as vacinas disponíveis, acreditamos que aquela que primeiro estiver certificada deve ser colocada à disposição da população, seja ela chinesa, inglesa, americana, dos vários laboratórios que estão nessa corrida”, disse.

Nesta manhã, o presidente desmentiu o que havia sido anunciado pelo . Ele justificou a decisão dizendo que o povo brasileiro não deveria servir de ‘cobaia’ e que não há motivo para um bilionário aporte financeiro em um medicamento que ainda não ultrapassou sua fase de testagem.

O secretário de saúde de MS, por sua vez, disse que o Ministério deveria manter a posição que manifestou, na presença de mais de 20 governadores na terça-feira. “Esperamos que seja evitado, qualquer tipo de guerra pelas vacinas, de guerra entre os estados. (…)  [Ministro da Saúde] deixou claro a aquisição das vacinas mais adiantadas para disponibilizar para população a partir de janeiro de 2021”.

Secretário de MS diz que Ministério da Saúde deve comprar 1ª vacina disponível para coronavírus
Mais notícias