Retorno das aulas presenciais nas particulares é adiado e nova data fica para setembro

Nova reunião está marcada para 3 de setembro, quando deve ser debatido o panorama da doença na cidade

O retorno das aulas presenciais nas escolas particulares de Campo Grande foi novamente adiado e uma nova data foi estabelecida, deixando a volta pré-fixado para o dia 10 de setembro. Em reunião na tarde desta quinta-feira (13) entre (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), Prefeitura Municipal, por meio da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) e representantes das instituições, ficou decidido que uma nova roda de debate deve acontecer no dia 3 de setembro para avaliar a situação dos casos de coronavírus na cidade.

A promotora de Justiça da , Vera Aparecida Cardoso Bogalho destacou as partes entraram em um consenso e detalhou que a quantidade de casos da doença na cidade triplicaram desde a última reunião, realizada no dia 14 e julho. Por esse motivo, as partes entenderam que o melhor era adiar o retorno, que estava previsto para o dia 24 de agosto.

A promotora da Justiça da Saúde, Filomena Fluminhan também relembrou que o número de casos se elevaram em mais de 300%, assim como a taxa de ocupação dos leitos do (Sistema Único de Saúde) está em aumento considerável, que hoje, segundo a promotora, atinge 79%. Porém, destacou o trabalho da Prefeitura em aumentar a quantidade de leitos.

Retorno das aulas presenciais nas particulares é adiado e nova data fica para setembro
Promotora Filomena Fluminhan destacou a taxa de ocupação dos leitos do . (Foto: Leonardo de França, Midiamax)

“Todos aqueles critérios objetivos estabelecidos para o retorno das aulas não foram preenchidos na situação atual e isso já era esperado”, declarou.

A presidente do Sinepe (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino), Maria da Glória explicou que as escolas continuam dando suas aulas remotas e que isso precisou de um desdobramento porque as escolas não estavam acostumadas a fazer, mas deixou claro que as instituições estão preparadas para segurar por mais um mês até o retorno com segurança dos alunos.

“As nossas escolas agora estão próximas aos órgãos, seguindo as orientações, seguindo todas as recomendações, porque acima de tudo, o que nós queremos é preservar a vida dos nossos alunos, dos nossos colaboradores, da instituição como um todo para que ela ao retomar as atividades, retome com segurança. As escolas estão preparadas, já construíram seus planos de biossegurança e continuam dando suas aulas remotas”.

O secretário José Mauro Filho colocou na reunião que o alto índice de ocupação dos leitos do não contribui para a flexibilização do retorno às aulas. O número de notificações da doença também foi mostrado para todas as partes e que viabilizar a retomadas das aulas depende da população respeitar os decretos que estão sendo publicados pelo município.

“Tem que ter o olhar de todos os setores, da educação, da saúde, do executivo. Então é uma construção que vai ser feita com o Ministério Público para que possa retornar as aulas em um momento mais adequado se julgue”, finalizou.

Retorno das aulas presenciais nas particulares é adiado e nova data fica para setembro
Mais notícias