Restauração da Matriz de Nossa Senhora da Candelária entra na reta final em Corumbá

Conforme a prefeitura da cidade, 90% dos serviços já foram realizados no prédio da igreja

As obras de restauração e recuperação da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária, em Corumbá –a 419 km de Campo Grande– estão mais de 90% concluídas, segundo informações da prefeitura local. O investimento, de R$ 1,78 milhão, foi bancado pelo PAC Cidades Históricas com contrapartida da administração municipal, além de apoio do Governo do Estado na recuperação da parte elétrica, em fase de conclusão.

A obra prevê a total restauração das áreas externa e interna, revestimento e da cobertura do coro da Matriz. O serviço, segundo informou a assessoria da Prefeitura de Corumbá, considera informações de pesquisa histórica, prospecção arquitetônica e pictórica, levantamento físico e mapeamento dos danos. A ideia é recompor espaços e materiais, bem como requalificar a construção, respeitando as características originais.

A Matriz foi construída antes de 1880, sendo considerado o templo católico mais antigo de Mato Grosso do Sul, tornando-se patrimônio histórico e cultural de Corumbá em 2017 e integrando um complexo histórico que inclui a antiga Casa Mista, a Sede da Polícia Federal e o ILA (Instituto Luiz de Albuquerque).

O prédio, com arquitetura eclética, teve a pedra fundamental lançada em 1872 pelo pregador imperial e Vigário da Vara, Frei Mariano de Bagnaia, sendo inaugurada em 1877. Ela guarda a padroeira de Corumbá, Nossa Senhora da Candelária.

Também em 2017, a Catedral foi reconhecida como Bem do Patrimônio Histórico Material de Mato Grosso do Sul, com o Conselho Estadual de Cultura a apontando “entre as edificações de maior expressão quanto à riqueza histórica e arquitetônica de Mato Grosso do Sul”.

Restauração da Matriz de Nossa Senhora da Candelária entra na reta final em Corumbá
Mais notícias