Remédios do ‘coquetel coronavírus’ somem das prateleiras das farmácias em Campo Grande

Mesmo sem comprovação científica, pessoas zeram estoques 'para se prevenir do coronavírus'

A procura pelos remédios associados ao combate a , fez com que as prateleiras das farmácias ficassem zeradas do ‘coquetel coronavírus’ em Campo Grande. Apesar de não haver comprovação científica de que os vermífugos combatem ao vírus, muitos estabelecimentos afirmam que a procura pelos medicamentos relacionados com a doença chega a ser de 100% por parte dos clientes.

No total, quatro medicamentos são associados com a cura e contenção do coronavírus: Ivermectina, Azitromicina, Tamiflu e a Cloroquina. Dois desses remédios, a Ivermectina e o Tamiflu, podem ser comprados no balcão das farmácias, mas os demais, Azitromicina e a Cloroquina são vendidos somente com prescrição médica.

Remédios do 'coquetel coronavírus' somem das prateleiras das farmácias em Campo Grande
Azitromicina está disponível nas farmácias, mas apenas sob prescrição médica | Foto: de

Do quatro remédios, apenas a Azitromicina segue nas prateleiras das farmácias e drogarias, enquanto os demais, seguem escassos e quando disponíveis, se esgotam até no mesmo dia.

Em uma farmácia na Afonso Pena, a farmacêutica Stefanie Alves, disse que o primeiro medicamento a ser procurado pelos clientes é a Ivermectina que, quando disponibilizado, é vendido a partir de R$ 15,40.

“A Ivermectina chegou na semana passada e se esgotou em 20 minutos. A Azitromicina vendemos a partir de R$ 12,24, mas esse é vendido apenas com receita médica. O Tamiflu não temos disponível desde fevereiro e a Cloroquina foi vendida a última caixa há dois meses”, disse à reportagem. Os medicamentos custavam R$ 221 e R$ 71, respectivamente.

Somente reservas e encomendas

Em outro estabelecimento no Centro de Campo Grande, o gerente João Lacerda, explica que a maioria dos medicamentos associados à doença são vendidos sob encomenda e reserva na farmácia.

“Vendíamos o Ivermectina, mas estamos sem. Existe a previsão de chegar no final desta semana, mas os laboratórios não estão conseguindo suprir a demanda. Não estão conseguindo distribuir o suficiente”, relatou o gerente.

Nesta farmácia, a reportagem apurou que a Ivermectina e o Tamiflu podem ser encomendados com preços a partir de R$ 11,52 e R$ 249 respectivamente. A Azitromicina é vendida apenas com prescrição.

João também relata que a farmácia tinha no estoque a Hidroxi, que tinha nesta tarde oito caixas, mas que durante o dia, todas foram vendidas. “A maioria são para outros pacientes que usam em outros tratamentos”, disse.

Laboratórios não suprem demanda

Em um estabelecimento na Marechal Cândido Mariano Rondon, a farmacêutica Natália Lima, disse que o remédio mais comum na procura é o Ivermectina e a Hidroxi, mas que a farmácia não tem em estoque desde março. Segundo ela, as distribuidoras afirmam não ter os vermífugos para o coronavírus.

Remédios do 'coquetel coronavírus' somem das prateleiras das farmácias em Campo Grande
Últimas caixas de Ivermectina eram vendidas em farmácia | Foto: de , Midiamax

“Temos somente a Azitromicina por R$ 21,50, mas é vendida apenas com receita. Cerca de 10 pessoas por dia procuram pela Ivermectina e a Hidroxi, mas não temos a dois meses o primeiro e o outro, há quatro meses”, explicou.

Assim como nas duas farmácias citadas anteriormente, no estabelecimento localizado na Rua 13 de Maio o problema é o mesmo. Os laboratórios limitam a distribuição e muitas vezes afirmam que não têm os remédios.

“Em média, umas 10 pessoas por dia procuram por medicamentos referente ao coronavírus, principalmente o Ivermectina. Tínhamos ele na semana passada e acabou em duas horas”, afirmou um vendedor.

100% dos clientes procuram ‘coquetel coronavírus’

Na Farma Popular, localizada no Jardim Leblon, a farmacêutica Elizabeth Santana, disse que todos os clientes que entram na farmácia procuram por medicamentos relacionados ao combate a .

“A Ivermectina vendemos a R$ 27 e vendemos as últimas quatro caixas. A previsão é que até sexta-feira cheguem mais. As pessoas estão comprando entre 5 e 10 caixas desse remédio”, comentou. Dos quatro remédios associados ao ‘coquetel’, apenas o Azitromicina tem disponível atualmente na rede.

Remédios do 'coquetel coronavírus' somem das prateleiras das farmácias em Campo Grande
Mais notícias