Relógio biológico: Alunos voltam à rotina e especialista recomenda sono de até 9 horas

Neurologista especialista em sono explica as diferenças dos cronotipos de cada um

Com a volta às aulas, as crianças e adolescentes precisarão voltar a acordar cedo e, para muitos, a ideia inicialmente pode não lhes agradar. Isso porque, durante às férias de verão, os estudantes, em seu momento ‘relax’, extrapolavam e dormiam tarde e acordavam tarde.

O horário interno, chamado de cronotipo, coordenado por um “relógio” central localizado no cérebro, pode se “acostumar” com os horários flexíveis das férias e no retorno às aulas, os alunos podem sentir.

Para o médico neurologista especializado em sono, Marcílio Delmondes, esse “sofrimento” só deve durar de uma a três semanas, e logo o relógio biológico das crianças e adolescentes devem voltar à rotina.

“Nas férias eles acabam dormindo mais tarde e acordando mais tarde, isso faz com que o sono fique dessincronizado e quando a pessoa precisa voltar a acordar mais cedo, sofre essa dificuldade. Para ajustar novamente esse relógio biológico leva um tempo e aí é necessário empenho dos pais para estabelecer horários de dormir”, contou o médico.

Delmontes acrescenta que o ideal, é que as crianças, de 6 a 8 anos, durmam entre 9 e 10 horas. Já os adolescentes devem ter uma média de, no mínimo, 8 horas por dia para que os estudos possam render.

Um estudo publicado pela Nature Human Behavior sobre os hábitos de sono e o rendimento de 753 alunos mostra que aqueles que têm que ir à escola às 7h45 da manhã sofrem uma defasagem horária entre os dias livres e os dias úteis de até quatro horas (chamada de jetlag social).

Se a criança ou adolescente estiver dormindo o necessário, mas mesmo assim o cansaço estiver comprometendo o rendimento escolar, os pais deverão procurar um médico, pois pode ser que o cronotipo do estudante possa estar incompatível com o horário escolar.

“Às vezes os pais nessas situações, acham que o filho está fazendo corpo mole para os estudos ou que não está se comprometendo, mas na verdade é que o padrão biológico dele não é compatível com o horário que ele está estudando. Neste caso, precisamos avaliar e corrigir com medicação”, comentou Marcílio.

Mas o que é cronotipo e qual é o meu?

O neurologista explica que existem três tipos de cronotipos, o matutino, o vespertino e o intermediário. Confira:

Cronotipo matutino: é quando o pico de produção de melatonina ocorre antes da meia-noite. São pessoas que precisam ir para a cama cedo e são mais ativos nas primeiras horas do dia. Em geral, dormem entre as 22h e 6h da manhã.

Cronotipo vespertino: é quando o pico acontece bem mais tarde, às 6h da manhã. São aquelas pessoas que rendem melhor à noite, mas precisam prolongar o descanso até o início da manhã. O horário de sono costuma ser entre 3h e 11h.

Cronotipo intermediário: a metade restante da população apresenta um cronotipo médio, ou seja, o pico de melatonina ocorre às 3h da manhã. Dormem geralmente entre meia-noite e 8h da manhã.

Mais notícias