Receitado no SUS, vermífugo usado contra Covid-19 está em falta nos postos de saúde de Campo Grande

Medicamento reduz carga viral, mas cientistas não recomendam automedicação

Colaborou Mylena Rocha

A Ivermectina, vermífugo usado contra vermes, parasitas e piolhos, e o mais novo medicamento usando como esperança para combater o novo coronavírus, causador da Covid-19, está em falta nos postos de saúde de Campo Grande.

O medicamento foi adotado como protocolo e vem sendo receitado para pacientes que apresentem sintomas respiratórios, por ser de baixo efeito colateral.

Nas farmácias da rede privada também já está difícil de encontrar o medicamento para aquisição, assim como foi com a hidroxicloroquina e a cloroquina, a divulgação prévia do estudo fez com que a população corresse e esgotasse os estoques.

Conforme a (Secretaria Municipal de ), foi feito um processo de aquisição, mas a empresa que fornece o medicamento pediu o cancelamento por conta do aumento da procura, por isso ainda não há prazo para reposição nos postos de saúde.

Ivermectina X

O vermífugo foi descoberto em 1975 e vem sendo usado há anos contra ácaros, como sarna e piolhos. As contraindicações são para pacientes com meningite ou doenças do sistema nervoso central, bem como para crianças menores de 5 anos ou com menos de 15 quilos.

Um grupo de aproximadamente 600 médicos de Belém do Pará, no Pará e da cidade de Porto Feliz, em São Paulo, realizaram testes do medicamento usado como preventivo e em saco de sintomas, foi associado á à hidroxicloroquina ou claritromicina, apenas com prescrição.

Durante uma live, os médicos disseram que em Porto Feliz o kit dos medicamentos foi ministrado em 4,5 mil pacientes que tiveram contato com casos positivos de Covid-19 e nenhum deles desenvolveu a doença;

Para contaminados com sintomas leves a Ivermectina foi associada a outro remédio e os pacientes não evoluíram para um quadro grave da doença.

Conforme estudos de pesquisadores da , a ivermectina foi aplicada em testes de laboratório e reduziu o crescimento da carga viral em 93% dos casos em até 24h e 99,9% em 48 horas.

Mas, mesmo com os resultados, cientistas não recomendam que a automedicação com ivermectina seja realizada, já que ainda não foram feitos testes em pessoas contaminadas com a Covid-19.

Receitado no SUS, vermífugo usado contra Covid-19 está em falta nos postos de saúde de Campo Grande
Mais notícias